Topo
UOL Esporte vê TV

UOL Esporte vê TV

Estreante na ESPN diz: É preciso parar de ver mulher no esporte como 'novo'

UOL Esporte

2027-10-20T17:04:00

27/10/2017 04h00

Crédito: Arquivo Pessoal

A ESPN terá uma estreante no esporte e na TV em sua programação nesta sexta-feira (27). Será a primeira vez que Alana Ambrósio entrará no ar como comentarista fixa do canal no ESPN League. A emissora anunciou a chegada da jornalista e de Paula Ivoglo à equipe fixa na última quarta (25). Acostumada a acompanhar a NBA por lazer, ela virou uma especialista no assunto, passou por cima de comentários machistas nas redes sociais e até driblou a rotina completamente diferente como repórter da rádio CBN pelo esporte.

"Na rádio eu faço de tudo. O horário depende do dia. Hoje, por exemplo, eu entrei às 6h da manhã e como tenho a tarde livre, acompanho as reprises dos jogos da NBA com o League Pass. Eu gosto de ver as reprises e vejo as dos jogos de 0h30, porque acordo muito cedo. Eu sempre procuro ter um tempo pra voltar pra casa e acompanhar o mercado, sites de notícias. Como é uma paixão pra mim, nem parece trabalho", disse Alana em entrevista ao UOL Esporte.

Como especialista, Alana opina bastante sobre a NBA principalmente no Twitter, onde já passou por situações constrangedoras por "entender demais".

"Algumas situações chatas já aconteceram. Um dia eu estava falando de um jogo e aí alguém comentou: 'que legal. Uma mulher que sabe de basquete. Meu sonho, casa comigo'. Também comentam que sou bonita e ainda falo de basquete. Mas eu quero ser valorizada em termos profissionais. Não houve algo mais agressivo, mas isso é desgastante. Perdeu a oportunidade de ficar quieto", relembrou.

Alana Ambrósio ao lado de Everaldo Marques, Rômulo Mendonça e José Renato Ambrosio no ESPN League (ESPN)

Essa será a primeira vez que Alana sairá oficialmente da rotina de repórter de cidades e outros assuntos da rádio para falar apenas de esporte. Ela sabe pelas amigas jornalistas esportivas o que acontece com mulheres em um meio dominado pelos homens.

"Diversas vezes eu sofri assédio, não voltado necessariamente ao esporte. Essa é a primeira vez que trabalho no jornalismo esportivo. É importante ter mulher ocupando esse espaço. Tenho muitas amigas no esporte e é cada xingamento que elas recebem no estádio. A diferença é que a mulher vai ser sempre avaliada pelo gênero dela. Se fizer um comentário que não concorda, é comum que seja atacada por ser mulher e não por ser uma pessoa que faz o comentário. É interessante ter mais mulheres pra gente parar de encarar como coisa nova", relatou.

Ainda antes de ser jornalista, aos 17 anos, a paixão pela NBA surgiu. Foi através do pai, na sala de casa. "Era um jogo dos (Chicago) Bulls e Boston (Celtics) e teve 3 overtimes (prorrogações) e fiquei alucinada com o jogo, não estava entendendo nada e pensei: vou começar a assistir. Eu comecei a acompanhar bastante na temporada seguinte".

Acostumada com o improviso da rádio, Alana diz que "gosta mesmo é de matraquear", mas confessou o nervosismo de encarar as câmeras pela primeira vez de forma fixa.

"Dá muito frio na barriga. Eu estou acostumada a falar no improviso. Isso de câmera vai ser bem novo pra mim. Eu trabalhei com produção, mas na frente nunca. Eu espero que eu consiga agregar fazendo percepções e falando sobre o jogo. Não ficar falando de estatísticas de números, analisar o momento, analisar a conjuntura dos times, dos resultados. Tudo que acontece fora das quadras. Tem vários jogadores da NBA e técnicos expressivos", analisou.

Karla Torralba
Do UOL, em São Paulo

 

Veja mais:

Apresentadora do prêmio da Fifa se inspirou em Xuxa para iniciar carreira

ESPN adiciona duas comentaristas ao quadro fixo do "ESPN League"

Por futebol na Globo, GP do México será transmitido ao vivo pelo SporTV 2

Sobre o Blog

A TV exibe e debate o esporte. Aqui, o UOL Esporte discute a TV: programas esportivos, transmissões, mesas-redondas, narradores, apresentadores e comentaristas são o assunto.

Mais UOL Esporte vê TV