Topo
UOL Esporte vê TV

UOL Esporte vê TV

Apresentadora da Globo diz que público engajado de games a levou à Playboy

Beatriz Cesarini

11/05/2019 04h00

Nyvi Estephan é gamer, apresentadora de campeonatos de eSports e agora tem um quadro no Esporte Espetacular, da TV Globo. Com um milhão de seguidores nas redes sociais, é um dos maiores nomes no mundo dos games e já até estampou a capa da revista Playboy. Segundo a jovem de 27 anos, seu sucesso está ligado ao engajamento do público dos jogos virtuais.

"Apresentar um quadro no Esporte Espetacular é uma consolidação de onde os eSports chegaram. Começamos organizando campeonatos amadores e conquistando, passo a passo, nosso espaço entre os esportes tradicionais. Hoje chegamos a um dos maiores programas esportivos da TV aberta. É uma enorme vitória", declarou Nyvi ao UOL Esporte.

Leia também:

Atualmente, o Brasil é um dos maiores países do mundo quando o assunto é quantidade de gamers. No ano passado, o país foi classificado como terceiro colocado no ranking mundial de jogadores, com mais de 60 milhões de usuários.

"Foi um crescimento muito rápido e até inesperado. Há cinco ou seis anos não imaginávamos onde isso iria chegar. Mas é fácil entender o porquê: trata-se de um público apaixonado e extremamente engajado. O fenômeno atual é apenas uma consequência desse engajamento, tanto dos profissionais dos eSports quanto do público", opinou Nyvi.

A apresentadora e gamer destacou que esse comprometimento dos jogadores a fez chegar à capa da revista Playboy no ano de 2016.

"Cresci nos esportes eletrônicos e ver uma marca tão grande quanto a Playboy me contratar por causa de pedidos do público foi uma coisa surreal. Nesse momento já tínhamos uma grande prova do quão engajado esse público é", exaltou a paulistana, que também falou sobre a relação entre a aparência e carreira.

"Como uma comunicadora, a aparência pode ser um item agregador ao trabalho, assim como simpatia, qualidade vocal ou o fato de a pessoa ser engraçada. Mas estou no mercado de trabalho há muitos anos, cinco deles em games, e sei que não há trabalho que se sustente apenas com qualidades físicas. O segredo do crescimento profissional a longo prazo é o esforço e a determinação em ser cada vez melhor no que se propõe a fazer", disse Nyvi.

O amor de Nyvi pelos games veio desde quando ela era criança e jogava ao lado do irmão, dono do aparelho. Segundo a apresentadora, o mundo dos jogos ainda está muito ligado ao universo masculino. Apesar disso, o espaço para as mulheres está crescendo muito e a jovem faz parte disso.

"Eu jogo vídeo game desde criança, desde que meu irmão ganhou um. Ainda temos uma cultura enraizada de que jogos são coisas 'de meninos', mas a tendência é quebrarmos cada vez mais esses paradigmas. Ainda parece estranho uma mulher que joga, porque as mulheres ainda são minoria entre os jogadores de vídeo game. Entretanto, hoje as mulheres representam a maioria quando o assunto é jogos mobile, porque os celulares são mais acessíveis a esse público que, culturalmente, não ganharia um vídeo game na infância e nem seria convidado a jogar com amigos. Isso demonstra o grande interesse das mulheres também por jogos e a expectativa de que, no futuro, este seja um ambiente cada vez mais diversificado e amigável a todos os públicos", ponderou Nyvi.

Sobre o Blog

A TV exibe e debate o esporte. Aqui, o UOL Esporte discute a TV: programas esportivos, transmissões, mesas-redondas, narradores, apresentadores e comentaristas são o assunto.