Topo
UOL Esporte vê TV

UOL Esporte vê TV

Lembra dele nas novelas? Comentarista da ESPN pensa em voltar a ser ator

UOL Esporte

2021-01-20T15:06:00

21/01/2015 06h00

Paulo Antunes durante participação na novela Cristal, do SBT

Paulo Antunes é um dos rostos mais conhecidos do futebol americano no Brasil. Desde 2006, é o principal comentarista da ESPN nas transmissões da modalidade. No dia 1º de fevereiro, no Arizona, na partida entre Seattle Seahawks e New England Patriots, irá trabalhar em seu sétimo Super Bowl. Mas o esporte da bola oval e as demais ligas americanas não são suas únicas paixões. Ele também gosta de atuar, já fez pontas em novelas e não descarta a possibilidade de retomar a carreira de ator no futuro.

Formado na Escola de Atores Wolf Maya, em São Paulo, Antunes já esteve na telinha em tramas da Globo e do SBT, ambas em 2006. Na novela Cobras e Lagartos, interpretou um bandido em uma cena de menos de um minuto de duração e nem sequer mostrou a cara. Aparecia encapuzado praticando um roubo. Na emissora de Silvio Santos, fez o papel de médico em uma cena com a consagrada atriz Pepita Rodríguez.

"Gosto bastante desta área, sempre achei muito interessante. Na época em que estava me formando nesta escola, fiz algumas turnês, alguns musicais. Até penso em voltar a ser ator", disse Antunes em entrevista ao UOL Esporte.

Lembre 10 momentos em que o "tempo fechou" ao vivo na TV brasileira

As experiências como ator foram curtas, mas o comentarista da ESPN guarda boas e más lembranças dos bastidores.

"Esta cena que fiz na Cobra de Lagartos eu não consegui enxergar nada com o capuz. Até perguntei para o diretor de podia tirá-lo, mas não deixaram. O revólver era pesado, acho até que era de verdade. Fiz a cena rapidamente, gravei e acabou tudo. Acho que ganhei só R$ 250. Sem contar que tive de pagar do meu bolso a passagem de ida e volta para o Rio de Janeiro e fiquei hospedado na casa de um amigo. Para chegar ao Projac (local das gravações) foi complicado. Era longe e eu não queria gastar com táxi. Acabei entrando numa Kombi que passava lá perto e depois andei um pouco a pé. Na volta, acabei ganhando carona de um ator que não me lembro o nome (risos). Também lembro que antes da cena bati um papo com o Henri Castelli e a Mariana Ximenes se sentou do meu lado", relembrou Antunes.

"No SBT, foi melhor. Todos os atores iam juntos lá para os estúdios na (Via Anhanguera) Foram três dias de gravações. Se não me engano, ganhei R$ 400 por dia", afirmou o comentarista.

paulo antunes

Hoje valorizado dentro da ESPN e formando uma dupla de sucesso ao lado do narador Everaldo Marques, Paulo Antunes nem sempre teve todo este "glamour" e reconhecimento. Aliás, para chegar na emissora não teve um caminho fácil.

Sua primeira experiência com o microfone foi na VTV de Santos, uma afiliada da Rede TV. O dono do canal é seu tio Beto Mansur, ex-prefeito de Santos.

"Tinha acabado de me formar em jornalismo nos Estados Unidos e havia voltado ao Brasil. Meu tio falou para eu ir trabalhar na VTV. Fui produtor, e depois comecei a apresentar um programa de cultura chamado Pé na Rua e depois outro de esporte, chamado Movimento. Como eu fazia muitas matérias no Santos, encontrava sempre um pessoal da ESPN e batia um papo. Consegui marcar uma reunião lá, deixei umas fitas minhas, mas nunca me deram retorno. Desencanei. Depois de um tempo, estava passando férias nos Estados Unidos e liguei para a ESPN oferecendo uma matéria de beisebol. Conversei com o João Simões e ele disse que estava em busca de comentarista para esportes americanos. Fiz um teste, entrei, e estou lá até hoje", disse Antunes, que marca as transmissões nas quais participa com diversos bordões e gritos empolgados.

Além das transmissões da NFL, o comentarista atua também em jogos de beisebol (MLB) e do programa semanal voltado exclusivamente a esportes americanos The Book is on the Table". Também possui um blog e grava todas as terças-feiras o programa Antunadas, que vai ao ar apenas na internet.

"Hoje, a carga de trabalho é muito maior do que era na época que entrei. Estou ocupado praticamente todos os dias.

E Antunes não vive apenas dos comentários. Dedica seu tempo também a administrar uma sorveteria. Ele é proprietário da franquia Freddo no Shopping Anália Franco, em São Paulo.

"É legal, eu gosto. Mas neste momento, estou tentando reerguer a sorveteria, que não está indo tão bem. É muito mais fácil ser comentarista", risos.

Saiba mais sobre Paulo Antunes

  • Vida nos Estados Unidos

    Paulo Antunes tem 36 anos e passou 18 deles nos EUA. Em 1984, quando tinha seis anos, mudou-se com a família para Sarasota, na Flórida, onde viveu a infância. Foi no país também que estudou jornalismo, primeiro na Universidade da Flórida e depois no Emerson College, em Boston. O comentarista retornou ao Brasil em 2002, mas sempre passa férias na América do Norte, onde seus pais ainda moram.

  • Paixão pelas equipes americanas

    Paulo tem equipes favoritas nas quatro principais ligas dos Estados Unidos. Na NFL, é fã do Miami Dolphins, por influência de seu pai. Já nas demais modalidades, sua preferência é pelas equipes de Boston: Celtics (NBA), Red Sox (MLB) e Bruins (NHL).

  • Corintiano e sofredor

    Paulo Antunes é torcedor do Corinthians. E ele já sofreu muito com o clube na época em que vivia nos EUA. Em 1995, em uma época sem internet, não tinha como assistir à final do Paulista contra o Palmeiras. Conseguiu encontrar uma rádio internacional que transmitia o jogo e escutou o gol de Elivélton que garantiu o título ao Alvinegro. "Tinha um rádio de ondas curtas, pegava muito mal".

  • Os bordões

    Entre os termos favoritos usados pelo comentarista estão: "Hello, bola!", "Temos um jogo!", "Goodbye, basebola!", "Oh my goodness!" e "Chega!".

Paulo Antunes em comercial da ESPN

Fábio Aleixo
Do UOL, em São Paulo

Sobre o Blog

A TV exibe e debate o esporte. Aqui, o UOL Esporte discute a TV: programas esportivos, transmissões, mesas-redondas, narradores, apresentadores e comentaristas são o assunto.

Mais UOL Esporte vê TV