PUBLICIDADE
Topo

UOL Esporte vê TV

Galvão faz 61 anos: conheça casos desconhecidos do ídolo da TV

UOL Esporte

21/07/2011 07h01

Galvão em vários momentos: Na cabine, pulando no tetra, início de carreira e capa de revista

Bem, amigos do UOL Esporte Vê TV, o nosso blog apresenta nesta quinta-feira uma singela homenagem ao aniversariante do dia, Galvão Bueno, ícone da TV brasileira que completa 61 anos neste 21 de julho. Muita gente não gosta da "voz do esporte" da Globo, outros tantos não conseguem assistir a jogos sem ele, mas o consenso fácil entre as duas partes é de que Carlos Eduardo dos Santos Galvão Bueno é o mais popular narrador esportivo da história da nossa telinha, gostando-se ou não.

Quem de alguma forma adora de esporte e vem seguindo Galvão nos últimos anos (ou décadas) conhece as suas histórias mais ilustres. O torcedor comum sabe que o número 1 da Globo foi muito amigo de Senna, que narrou títulos brasileiros em Copas e na F-1, que ele não se dá com o lateral Roberto Carlos, que foi alvo do protesto de torcedores na Copa de 2010 ("Cala a boca"). Esse espectador convencional sabe até coisas mais pessoais, como por exemplo que o narrador mora entre Londrina e Mônaco e que ele é pai dos pilotos de Stock Car Cacá e Popó Bueno.

No entanto, para marcar a data do 61º aniversário de Galvão, o UOL Esporte Vê TV selecionou cinco histórias que não estão exatamente entre as mais conhecidas do narrador. Confira elas abaixo:

1. PEGADINHA JAPONESA COM SENNA

Nos "anos Senna" na F-1, Galvão desenvolveu uma relação muito próxima ao ídolo. Eles andavam juntos nas viagens do circo pelo mundo. Nesta época, anterior à chegada ao mercado das câmeras digitais de fotografia, o global se divertia com pegadinhas junto com o piloto. Era requisitado o tempo topo para bater fotos de Ayrton junto a fãs e, com câmeras antigas de filmes em mãos, costumava bater retratos cortando a cabeça do tricampeão mundial e de seus admiradores (que só veriam o resultado desastroso na hora de revelar). As "vítimas" preferidas eram os fãs japoneses de Senna.

2. FUNGO FAZ VOZ FALHAR NA COPA 2010

Enquanto a seleção de Dunga sofria em campo contra a Holanda nas quartas de final da Copa, Galvão Bueno passava por apuros na posição de transmissão da Globo no estádio em Port Elizabeth. O narrador sentiu a voz travar, em instantes do jogo mal conseguia falar. Galvão ficou apavorado, e o número 2 da Globo Cleber Machado chegou a ficar de prontidão para assumir o comando. No entanto, o veterano conseguiu recobrar a energia da voz e foi até o fim. Mais tarde, já no Brasil, o ídolo contou em entrevista que teve identificado uma espécie de fungo na boca e garganta.

Anos 90: Casseta e Planeta cria Gavião Bueno (acima) e aumenta folclore em torno do narrador

3. POP STAR NO MARANHÃO

Galvão costuma acompanhar in loco, de campo, alguns treinos da seleção brasileira, para gravar boletins para o Jornal Nacional e outros noticiários da Globo. Certa vez, em uma prática em São Luís, o narrador causou alvoroço com sua presença, já que a equipe treinava com os portões abertos para a torcida maranhense. Na última hora, a estrela global teve que ser enfiada em uma ambulância para conseguir deixar o estádio.

4. EMOÇÃO COM MASSA NO HOSPITAL

Depois do gravíssimo acidente nos treinos para o GP da Hungria, em 2009, Felipe Massa recuperou a lucidez e identificou o amigo Galvão Bueno no primeiro pelotão de pessoas próximas que o visitava no hospital em Budapeste. O narrador da Globo relata o encontro emocionado, contando que perguntou ao piloto da Ferrari se ele sabia quem estava ali na sua frente. Ainda sem poder falar, Massa afastou a máscara de respiração, sorriu e fez um sinal de positivo para Galvão. Os dois apertaram as mãos.

5. NARROU JOGO ERRADO E CONSERTOU NO AR

Em 1974, Galvão fazia parte da equipe que transmitiu para o país o Mundial da Alemanha, em parceria das TVs Gazeta, Record e Bandeirantes. Foi escalado para comandar do estúdio em São Paulo a transmissão de Bulgária x Suécia. Quando viu as equipes em campo, uma de branco e a outra de amarelo, começou a mandar bala sem hesitar: Romanov pra cá, Ericsson pra lá, etc. No entanto, já no fim do primeiro tempo, a câmera apontou para o placar do estádio, que exibia: Alemanha Oriental 0 x 0 Austrália. Na cara-de-pau, Bueno seguiu narrando, a partir dali com os times certos.

 

Com essas lembranças deixamos aqui os nossos parabéns. O narrador da Globo promete que a Copa de 2014 será a última da sua carreira. Por isso, aproveitemos enquanto é possível: "Filma nóis, Galvão!"


TUÍTE O SEU BORDÃO FAVORITO:

Haja coração!

RRRRRRRRRonaldinho

Sai que é sua, Taffarel!

Quem é que sobe?

Ganhar é bom, mas ganhar da Argentina é muito mais gostoso

Isso pode, Arnaldo?

É teste pra cardíaco, amigo!

Ele é perigoooooso!

Chegar é uma coisa, passar é outra

Isso, pra cima deles, fulano

Sobre o Blog

A TV exibe e debate o esporte. Aqui, o UOL Esporte discute a TV: programas esportivos, transmissões, mesas-redondas, narradores, apresentadores e comentaristas são o assunto.

UOL Esporte vê TV