Blog UOL Esporte vê TV

Arquivo : rede globo

R. Oliveira e Prass trocam elogios e cutucadas em ‘ping-pong’ na TV
Comentários Comente

UOL Esporte

(Reprodução/TV  Globo)

(Reprodução/TV Globo)

Em ‘ping-pong’ promovido pelo Globo Esporte de São Paulo, os rivais Ricardo Oliveira, camisa 9 do Santos, e Fernando Prass, goleiro do Palmeiras, falaram sobre os finalistas da Copa do Brasil, que se enfrentam nesta quarta-feira, na Vila Belmiro, pela primeira partida da decisão.

Em uma das respostas, Prass apontou os pontos fortes que ele vê no Peixe: “uma transição principalmente defesa-ataque muito rápida, usando as diagonais”. Já Ricardo Oliveira, quando questionado sobre o ponto forte do Verdão, disse: “não conheço.”

“A gente pode não ser o melhor grupo do Brasil, mas tem um elenco muito homogêneo e isso instiga competitividade. Então essa competitividade dentro do grupo é dos nossos pontos fortes”, argumentou Prass.

A maior cutucada do goleiro palmeirense veio quando questionado sobre qual jogador do adversário gostaria no seu time: “Nenhum”, respondeu. Ricardo Oliveira, por sua vez, citou Zé Roberto, atual atleta alviverde e que já passou pelo time da Vila Belmiro.

Convocados a falarem um sobre o outro, o centroavante chamou Fernando Prass de “um grande goleiro e uma grande pessoa”. Prass definiu o santista como “oportunista.”

Somente Fernando Prass arriscou placares para as finais: “1 a 0 e 1 a 0 [para o Palmeiras] tá bom, sem sofrer gol.”

Thiago Maia decidirá o jogo, segundo resposta de Oliveira na brincadeira da atração esportiva, enquanto Amaral e Arouca são os cotados de Prass para destaque no duelo da Copa do Brasil.


Em semana atípica, futebol dá à Globo sua melhor audiência em três dias
Comentários Comente

UOL Esporte

Com um jogo importante da seleção brasileira na terça-feira (17), a possibilidade de o Corinthians ser campeão brasileiro na quinta (19) e receber o troféu no domingo (22), a Globo festejou uma semana de bons números de audiência. Nos três dias citados, o futebol representou a melhor audiência da emissora em São Paulo.

Válida pelas Eliminatórias, a partida da seleção contra o Peru rendeu 27,3 pontos de média em São Paulo (cada ponto equivale a 67 mil residências), um aumento de 8 pontos no horário em relação ao Ibope médio nas quatro terças-feiras anteriores.

O interesse pelo Corinthians não foi tão grande quanto pela seleção, mas ainda assim rendeu bons números. A partida contra o Vasco, que assegurou o título, teve média de 24,1 pontos. Já a goleada deste domingo, contra o São Paulo, assegurou a liderança à Globo com 22,2 pontos.

Esta foi a segunda maior audiência do ano no Brasileirão aos domingos (a mais alta foi 23 pontos, em Palmeiras e Corinthians, no dia 6/09).

Mauricio Stycer

Crítico do UOL


Escândalo de corrupção na Fifa derruba homem forte do esporte na Globo
Comentários Comente

UOL Esporte

marcelocampos

O dia 27 de maio de 2015 foi determinante para o futuro do esporte na TV Globo. Nessa data, em operação liderada pelo FBI (polícia federal dos Estados Unidos), sete executivos ligados à Fifa, incluindo o brasileiro José Maria Marin, então vice-presidente da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), foram presos em Zurique (Suíça), onde estavam hospedados para um evento da entidade que comanda o futebol mundial. A investigação que deflagrou as detenções prosseguiu e se tornou mais abrangente. E, conforme apurou a reportagem do UOL Esporte com um diretor das Organizações Globo, dois funcionários da TV Globo e três pessoas ligadas ao comando do Sportv, a principal detentora de direitos de transmissão do futebol brasileiro, ainda que não tenha sido citada, acelerou um processo interno de mudança de comando.

Leia mais:
O que representa o fim da Era Campos Pinto para o futebol

O principal alvo dessa reformulação na Globo é Marcelo Campos Pinto, diretor da Globo Esporte e principal dirigente da emissora no segmento. Na quinta-feira (05), um comunicado assinado por Roberto Irineu Marinho, presidente do Grupo Globo, foi distribuído a diretores e oficializou aposentadoria do executivo para o fim de 2015. Procurado pela reportagem, o Grupo Globo confirmou a saída de Marcelo Campos Pinto e disse que as alterações já foram explicadas no comunicado interno.

Campos Pinto era uma figura extremamente próxima do comando da CBF, a ponto de dar expediente regularmente na sede da entidade. Em 2011, no processo de implosão do Clube dos 13, conduziu negociações individuais com clubes e foi nevrálgico para manutenção do controle da Globo sobre direitos de mídia no futebol brasileiro. A aposentadoria do executivo foi antecipada por causa do escândalo Fifa, e a decisão oficializada na quinta-feira é fruto de um acordo com ele – a despeito de deixar o cargo, Campos Pinto seguirá recebendo da emissora.

A prisão dos executivos ligados à Fifa também fez a Globo intensificar a preparação de Pedro Garcia, diretor de negócios dos canais Sportv, Premiere e Combate. Com cursos e reuniões em âmbito internacional, ele tem sido burilado há meses para assumir o cargo de Campos Pinto.

Garcia, contudo, não será “o novo” Campos Pinto. O novo diretor terá menos poder e responderá a um comitê formado por Alberto Pecegueiro (diretor-geral da Globosat), Carlos Henrique Schroder (diretor-geral da Globo) e Jorge Nóbrega (membro do conselho administrativo do Grupo Globo).

De acordo com fontes ouvidas pelo UOL Esporte, o comitê é uma espécie de transição para o esporte da Globo, que deve passar a ser comandado posteriormente por Roberto Marinho Neto, 31, filho de Roberto Irineu Marinho e herdeiro do grupo. Ele vem aumentando paulatinamente a participação no departamento, mas ainda não há uma data para o processo ser concluído. A emissora não comenta esse processo e afirma se tratar apenas de um boato, mas o UOL Esporte sustenta as informações publicadas.

A presença de Marinho Neto já tem mudado o comportamento do esporte da Globo e limitado o espaço de Campos Pinto, mas a emissora não pretendia fazer uma alteração drástica no comando da área a tão pouco tempo do início dos Jogos Olímpicos de 2016, que serão realizados no Rio de Janeiro – além de ser parceira de transmissão do evento, a TV tem cota de patrocínio.

Veja abaixo o comunicado enviado a diretores da Globo na última quinta-feira (05):

“Comunico que, a partir de 9 de novembro, a Globo Esportes passa a se subordinar ao Comitê de Direitos Esportivos, formado por Carlos Henrique Schroder, Alberto Pecegueiro e Jorge Nóbrega. A estrutura da nova Globo Esportes englobará as equipes e atividades de TV Globo e Globosat já envolvidas hoje nos processos de aquisição de direitos esportivos. Pedro Garcia, atualmente diretor dos canais e produtos de esporte da Globosat, será responsável por liderar essa equipe conjunta, respondendo por toda estratégia de aquisição de direitos esportivos do Grupo Globo. Além disso, Pedro continuará supervisionando os canais Sportv e os serviços de pay per view PFC e Combate.

Marcelo de Campos Pinto, que durante vários anos liderou as negociações de direitos de futebol e Olimpíadas, deverá se aposentar no final do ano, apoiando a organização da nova estrutura durante novembro e dezembro.

Esta mudança representa mais uma etapa na busca de sinergias e integração entre as operações do Grupo Globo. Desejo ao Pedro muito sucesso em suas novas atribuições. Ao Marcelo, meu agradecimento pelo importante trabalho realizado durante mais de vinte anos de atuação no Grupo Globo.

Roberto Irineu Marinho”

* Por Guilherme Costa e Pedro Ivo Almeida
Do UOL, no Rio de Janeiro


R$ 1,3 bi por Neymar? Casão não aceita e daria outro destino ao dinheiro
Comentários Comente

UOL Esporte

(Crédito: Reprodução/Rede Globo)

(Crédito: Reprodução/Rede Globo)

Estreando o quadro “Fala, Casão” nesta terça na edição paulista do Globo Esporte, o ex-jogador comentarista Walter Casagrande disse que daria outro destino se tivesse os cerca de R$ 1,3 bilhão que se especula que o Manchester United estaria propenso a gastar na contratação do craque brasileiro Neymar junto ao Barcelona. Fosse dono de toda essa bolada, faria o investimento não em futebol, mas em causas sociais.

“Eu ajudaria a Etiópia e a Somália, [acabar com] a fome no mundo, ajudaria as situações sociais, não só na África como no Brasil, também. É muito complicado pra mim discutir uma bolada dessa para um jogador de futebol. Apesar de que não tem nada a ver, o mundo do futebol é outro, o mundo que a gente vive é outro, mas eu acho muito difícil aceitar que se gaste esse dinheiro todo num jogador de futebol, sendo que o mundo tá cheio de problema”, afirmou.

Casão ainda respondeu a perguntas de telespectadores do programa:

Com a perda de volantes lesionados, Palmeiras ainda consegue ao menos uma vaga na Libertadores?

“Perdeu volantes, perdeu Gabriel, caiu um pouco, Marcelo entrou em dificuldade, fez um bom jogo contra o Atlético-MG, mas o Palmeiras é um todo. Tem chance de chegar entre os quatro, sim. Não tem que ficar encucado com volante. Palmeiras é uma boa equipe.”

(Crédito: Reprodução/Rede Globo)

(Crédito: Reprodução/Rede Globo)

Osorio é o técnico certo para o São Paulo?

“O Osorio é um grande treinador, vai acrescentar pro futebol brasileiro. Ele saiu prejudicado nessa história aí, saíram jogadores, está tentando montar uma equipe. Eu não concordo que ele faz rodízio, ele tá tentando armar um time, modifica pra achar um time, porque ele não tem um time. Ano que vem, com os jogadores que o Osorio vai querer pro time, vai montar uma grande equipe. Trabalho dele é pro ano que vem.”

Vagner Love vai desencantar ou os dois gols contra o Cruzeiro foram por sorte?

“Eu acho que o Vagner Love vinha jogando bem, mas não vinha fazendo gol e a cobrança do 9 [centroavante] é sempre em cima de gols. Eu acho que ele pode desencantar, mas não é uma garantia.”

Santos vai eliminar o Corinthians na Copa do Brasil?

“O Santos fez uma grande partida semana passada, Lucas Lima jogou muito bem, deu os dois passes para os gols, o Corinthians praticamente não jogou por mérito do desempenho do Santos. O Corinthians em casa é muito forte, como o Santos é na Vila. Depende muito de como desenrolar o jogo. Se o Corinthians fizer o gol nos 10, 15 minutos, a coisa fica difícil pro Santos, que tem time também para fazer gol.”


Jornal Nacional explica limitações da Globo para cobertura do Pan
Comentários Comente

UOL Esporte

 

150713w2

Por meio da edição deste sábado do Jornal Nacional, a Rede Globo deu o tom de como pretende noticiar os Jogos Pan-Americanos de Toronto: breves informações do dia de competições, atualização do quadro de medalhas e fotos do COB (sem muitas imagens em vídeo) que ilustrem resultados dos brasileiros.

Neste sábado, reportagem de 1 minuto e 15 segundos de Pedro Bassan limitou-se a apresentar dados do evento (6200 atletas de 41 países, sendo 590 brasileiros, disputando 36 modalidades) e retratar o espírito da cidade-sede para receber o Pan e dizer sobre o quão similar seria a estratégia canadense em relação ao que o Brasil pretende fazer na Olimpíada do Rio de Janeiro em 2016, além de dizer que muitos dos atletas ali estariam já pensando nos Jogos do Rio, com briga por vagas, inclusive.

“A maior cidade do Canadá quer mostrar aos visitantes que é possível ser ao mesmo tempo gigante e tranquila. A Fórmula para agradar todo mundo é parecida com a das Olimpíadas do Rio no ano que vem: juntar esporte e natureza. Aqui em Toronto, muitos locais de competições estão espalhados pelas margens do lago Ontário. A cerimônia de abertura foi ontem à noite no estádio de beisebol da cidade”, resumiu o texto da matéria, ilustrado, sim, com imagens, mas apenas da cidade.

“A TV Globo não tem os direitos de transmissão do Pan de Toronto, por isso tem limitação no uso de imagens das competições, mas não deixaremos de acompanhar de perto com nossas equipes no Canadá o desempenho e a conquista de medalhas dos atletas brasileiros e os principais momentos do evento”, justificou William Waack, em uma espécie de editorial lido no principal telejornal da emissora.

Os direitos televisivos do Pan de Toronto 2015 pertencem à Rede Record que, privilegiando a sua programação na TV aberta, opta por não mostrar tudo do evento, deixando a cobertura mais ampla dos Jogos para o seu canal de notícias Record News.

Como emissora sublicenciada do Pan, o Sportv também exibe os Jogos Pan-Americanos, porém com uma cobertura completa, não só das competições, mas com reportagens e um programa especial, o Conexão Sportv, também ao vivo, direto do Canadá.


Ivan Moré resgata seu quadro de “caronas” na estreia como titular do GE
Comentários Comente

UOL Esporte

IvanMore-Jadson_Reproducao-TVGlobo
Com um velho novo apresentador, Ivan Moré, e um novo editor-chefe, Daniel Minozzi, esperam-se algumas mudanças no Globo Esporte de SP. No entanto, o próprio Moré fez questão de deixar claro que a atração seguirá apostando na mesma fórmula: “a partir de agora peço licença para entrar na tua casa pra informar esporte com entretenimento e muita diversão. Cê Tá comigo? Tamo junto, então”, discursou nesta terça, um dia depois da despedida do antigo titular, Tiago Leifert. Porém, foi possível notar já algumas pequenas mudanças ali.

O GE paulista apresentou dois quadros novos em relação ao que se fazia na Era Leifert: “GE 10″, uma lista feita pela atração com os dez principais lances da rodada, e “Laboratório do GE”, com explicações científicas sobre aspectos dos esportes (quadro que já havia sido testado no fim do ano passado). Nesta terça, aproveitando a disputa do torneio de Wimbledon, foi ao ar uma reportagem sobre as diferenças dos pisos de tênis e das bolinhas e do quanto isso interfere no jogo dos atletas.

Com Moré titular, também voltou um quadro que ele próprio já fazia quando era o principal apresentador substituto de Leifert, o “Carona do Globo Esporte”, quando aproveita para fazer uma rápida entrevista com um jogador ao volante. Jadson, meia do Corinthians, foi o participante de hoje.

“Sou meio barbeiro, não vai ficar com medo, não”, brincou com Ivan o jogador corintiano, que gosta de moto, tem uma, mas anda pouco por causa da profissão.

“A visibilidade é muito maior no Corinthians e a cobrança é maior. Acho que no Corinthians tudo é mais, né?”, também disse Jadson, comparando com o São Paulo, seu ex-clube, porém declinando de analisar o técnico Dunga, da Seleção. “Cê quer me complicar, cara, vou te largar aqui, pula na rua, mesmo”, brincou com Ivan Moré.


Leifert chora em adeus ao Globo Esporte: “Diziam que duraria uma semana”
Comentários Comente

UOL Esporte

photo
Tiago Leifert fez nesta segunda-feira (06) sua despedida do comando do Globo Esporte de São Paulo. E, assim como ocorreu com Ivan Moré no Esporte Espetacular do último domingo, o apresentador se emocionou e não segurou as lágrimas ao se despedir do público.

“Queria dizer que estou mais nervoso agora do que quando comecei aqui em 2009. Nossa vida mudou muito nesse período, eu me casei e vou ter minha sobrinha. A vida muda muito nesses seis anos e meio. Acham bobagem o pessoal chorando no ar, mas isso aqui é nossa vida, a  gente gosta demais disso tudo. Define nossa rotina, nosso fim de semana. É uma mudança de rotina brutal e é por isso que a gente se emociona desse jeito”, disse Leifert.

“Me sinto um privilegiado de poder conversar com vocês e poder dizer a vocês que me assistem que o começo foi muito difícil, diziam que não duraria uma semana e meia. Mas o importante é que você assistiu, você acreditou, você me deixou ser diferente. Você fez uma escolha da qual não vou esquecer e serei eternamente grato”, completou.

A despedida de Leifert foi transformada em uma atração do programa desta segunda. O adeus do apresentador foi amplamente divulgado nas redes sociais, em outros programas da emissora e até em seu braço esportivo na TV paga, o Sportv.

Logo no início da manhã, Leifert fez uma rápida participação no Redação Sportv a pedido do apresentador André Rizek, que fez questão de chama-lo para cumprimenta-lo.

“E estou muito feliz de estar saindo sem ter dado nada errado, está tudo bem, a audiência está boa e eu estou saindo para fazer uma outra coisa. Eu sinto que ganhei a Champions League, sem brincadeira’”, disse Leifert a Rizek.

Antes do início do Globo Esporte, o apresentador transmitiu ao vivo nas redes sociais um pouco dos bastidores de seu último programa e gravou alguns vídeos – um deles imitando o ex-presidente do São Paulo Juvenal Juvêncio, um de seus ‘personagens’ favoritos.

#jujueterno #vainãovai #éhoje

Posted by Tiago Leifert on Segunda, 6 de julho de 2015

Acostumado a se emocionar no ar, o apresentador já anunciava horas antes do início do programa que provavelmente não conseguiria segurar as lágrimas em sua despedida.

“A voz da consciência já preparou uma caixa de lenço para a arte decorar e deixar a postos”, contou em sua transmissão ao vivo dos bastidores.

Untitled-1

Nos três primeiros blocos, a despedida foi deixada de lado e o Globo Esporte seguiu seu ritmo normal, contou com a presença de Caio Ribeiro nos comentários da rodada do Brasileirão e da Copa América e teve o costumeiro tom de bom humor ditado pelo apresentador. Uma das vítimas foi o narrador do Sportv Odinei Ribeiro, alvo de uma brincadeira por conta de um espirro mostrado no ar.

A habitual zoeira das derrotas da Argentina também deu as caras na reportagem sobre o revés dos hermanos para o Chile na decisão da Copa América.

“Dia difícil, de coração partido. Essa geração maravilhosa da Argentina… só dá alegria! Vice de novo! Seis vices campeonatos seguidos. Nada mais apropriado para um país banhado pelo rio da Prata”, disse a reportagem narrada por Leifert. “Higuaín é hoje o melhor atacante do futebol brasileiro. Só nos resta ver os jogos da Argentina porque eles andam nos dando bem mais alegria que a seleção brasileira”.

A promessa de lágrimas, feita logo na abertura e repetida durante o programa, foi cumprida apenas no último bloco, com a presença de Caio Ribeiro e Ivan Moré, que substituirá Leifert no comando da atração. Sempre citada como “Voz da Consciência” por Leifert, Renata Cuppen também apareceu no último bloco ao lado de Leifert, Caio e Moré, agradecendo ao colega pelo período em que trabalharam juntos.

As mudanças no esporte da TV Globo

Tiago Leifert ruma a um novo desafio na carreira, no entretenimento da Rede Globo, como um dos apresentadores do É de Casa, nova atração das manhãs de sábado, a partir de 8 de agosto,com Patrícia Poeta, também ex-jornalismo (esteve na bancada do Jornal Nacional), além de Zeca Camargo, Cissa Guimarães, Ana Furtado e André Marques. Por lá, Leifert vai falar de esporte e cultura nerd.

No seu último GE nesta segunda, Tiago passará a Ivan Moré a apresentação da edição paulista do esportivo. A partir do próximo domingo, Alex Escobar passa a coapresentar, em lugar de Moré, o Esporte Espetacular ao lado de Glenda Kozlowski, enquanto Fernanda Gentil assume o Globo Esporte do Rio de Janeiro.


Leifert fala antes de despedida: “saio sem nada errado, ganhei a Champions”
Comentários Comente

UOL Esporte

Leifert-Rizek-RedacaoSportv_Reproducao-Sportv
Convidado para uma rápida participação no Redação Sportv desta segunda, dia que marca a sua despedida como apresentador e editor do Globo Esporte de São Paulo, Tiago Leifert manifestou o seu contentamento por, segundo suas palavras, estar saindo do programa sem que nada tivesse dado errado para gerar a mudança como, geralmente, ele avalia, as coisas ocorrem na TV.

“Na televisão, as coisas só funcionam quando dão errado, né? Depois que termina, você troca, aí vem um cara, começa a dar certo, depois troca de novo porque deu errado, então quando dá errado acontece alguma coisa. E eu tô muito feliz de estar saindo sem ter dado nada errado, tá tudo bem, a audiência tá boa e eu tô saindo para fazer uma outra coisa. Eu sinto que ganhei a Champions League, sem brincadeira”, declarou ali, relatando sobre a emoção também que já toma conta dos bastidores da atração. “Obviamente, no ar eu vou chorar pra caramba, nesse momento a ‘voz da consciência’ [Renata Cuppen] tá chorando ali, e o Bruno Laurence, também. Estava consolando o Bruno”, contou.

André Rizek, comandante do Redação Sportv no Rio de Janeiro, relembrou com Leifert na escuta dele, na redação de São Paulo, do quanto achava maluco, há seis anos, a ideia de o colocarem para comandar o GE paulista. “Quando fiquei sabendo, em 2009, que ele iria apresentar o Globo Esporte, eu falei ‘que loucura, esse moleque vai durar três dias lá’. Deu certo e deu tanto certo que o Tiago ele transformou a linguagem do jornalismo esportivo no Brasil, essa empresa aqui, quebrou tabus, falou de coisas que a gente achava que não falaríamos antes, fez uma revolução. Parabéns, você arrebentou e sucesso na nova empreitada”, afirmou.

“Mal sabia você que no projeto original do Globo Esporte lá em 2009, quando você me achava um maluco, eu tinha colocado seu nome para ser comentarista do programa, também, então você se salvou dessa barca”, devolveu Leifert, rindo, que agradeceu: “mas eu fico feliz de ver você aí no Redação. Tenho um carinho enorme pelo Sportv, porque foi aí que eu comecei, foi quem me contratou.”

As mudanças no esporte da TV Globo

Tiago Leifert ruma a um novo desafio na carreira, no entretenimento da Rede Globo, como um dos apresentadores do É de Casa, nova atração das manhãs de sábado, a partir de 8 de agosto,com Patrícia Poeta, também ex-jornalismo (esteve na bancada do Jornal Nacional), além de Zeca Camargo, Cissa Guimarães, Ana Furtado e André Marques. Por lá, Leifert vai falar de esporte e cultura nerd.

No seu último GE nesta segunda, Tiago passará a Ivan Moré a apresentação da edição paulista do esportivo. A partir do próximo domingo, Alex Escobar passa a coapresentar, em lugar de Moré, o Esporte Espetacular ao lado de Glenda Kozlowski, enquanto Fernanda Gentil assume o Globo Esporte do Rio de Janeiro.


Ivan Moré não segura emoção e chora em despedida do Esporte Espetacular
Comentários Comente

UOL Esporte

photo22
Dando início às mudanças no esporte da Globo, Ivan Moré, que vai para o Globo Esporte de São Paulo no lugar de Tiago Leifert, despediu-se, com direito à emoção e lágrimas neste domingo do Esporte Espetacular, que coapresentou há pouco mais de dois anos ao lado de Glenda Kozlowski.

“Foram dois anos e meio de muita felicidade e muito aprendizado e eu saio feliz, vou assumir o Globo Esporte de São Paulo. É difícil falar chorando”, declarou, tocado com a despedida e amparado por Glenda e pelo novo apresentador do EE, Alex Escobar no estúdio.

Em seu lugar no dominical esportivo, como já adiantado pelo UOL Esporte, assume Alex Escobar, que além de apresentador também faz as vezes de narrador na Globo. Foi uma das vozes globais na última Copa do Mundo. Ainda como parte do troca-troca nos programas esportivos, Fernanda Gentil assume o comando do GE do Rio de Janeiro.

photo2
Amanhã, segunda-feira, é a vez de Leifert – que inclusive teve em Moré o seu principal reserva no comando do GE paulista – mudar de ares. Sai do programa esportivo para o entretenimento, como um dos apresentadores do É de Casa, nova atração da emissora para as manhãs de sábado, e que ainda terá Zeca Camargo, Patrícia Poeta, Cissa Guimarães, Ana Furtado e André Marques.

Na semana passada, Leifert adiantou em participação no Vídeo Show que vai falar de esporte e cultura nerd na nova atração da Globo.

Rogerio Jovaneli
Do UOL, em São Paulo


Esporte olímpico é naufrágio na audiência, diz chefão do esporte da Globo
Comentários Comente

UOL Esporte

Responsável da TV Globo pelo planejamento da cobertura das Olimpíadas do Rio-16, Renato Ribeiro foi um dos palestrantes do congresso promovido pela Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji). O jornalista defendeu a política de priorizar o futebol na grade de programação e transmitir poucos eventos de outras modalidades, apesar da proximidade dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro-2016.

“Não é papel da TV aberta passar outros esportes. É um naufrágio na audiência”, disse Ribeiro, que ressaltou que, ainda assim, a emissora transmitirá ao vivo 15 partidas de vôlei em 2015. Já o futebol terá aproximadamente 80.

Ribeiro contou que está afastado das reportagens desde a Copa do Mundo. O jornalista revelou que a programação dos Jogos está voltada para conquistar o público feminino.

“A gente olha as Olimpíadas pensando nas mulheres. Elas são protagonistas e são elas que mandam na audiência da TV aberta”, opinou.

Ribeiro ainda rebateu as críticas de que teria uma cobertura pouco crítica em relação às Olimpíadas e outros grandes eventos por ter os direitos de transmissão e, em boa parte dos casos, ser parceira de comunicação.

“Jornalisticamente a gente cobre [desapropriações e obras atrasadas]. O Rio cobre mais, jornais locais”, afirmou o jornalista, que se diz otimista sobre as obras para os Jogos.

“O atraso preocupa. Acho que as arenas vão ficar prontas a tempo. Não vai assustar. Acho que Deodoro vai ficar pronto com emoção. Engenhão é o que me preocupa mais. A prefeitura fala que está mexendo no teto, mas parece que não está acontecendo nada”, disse. “O golfe é complicado. Vai sair, mas é complicado. Metrô eu não sei se fica pronto. As obras de infraestrutura estão muito atrasadas. É que são obras feitas pela Odebrecht e Andrade Gutierrez”.

Sobre a cobertura dos Jogos, Ribeiro contou que a Globo estreará no dia 5 de agosto o programa ‘Balada Olímpica’, que será apresentado por Carol Barcellos após o Jornal da Globo. As transmissões dos esportes olímpicos passarão a contar com ‘mesas táticas’ similares às do futebol (os jogos de vôlei já têm utilizado este artifício).

“O maior desafio é fazer os atletas [comentaristas da Globo] mexerem nisso”, afirmou Ribeiro, que revelou que até mesmo a natação ganhará sua ‘piscina tática’.

* Por Guilherme Ceciliano
Do UOL, em São Paulo