Blog UOL Esporte vê TV

Arquivo : redaçao sportv

Sem oba-oba: a um ano dos Jogos, programa do SporTV ataca ‘feridas’ do Rio
Comentários Comente

UOL Esporte

André Rizek, apresentador do Redação SporTV (Crédito: Reprodução)

André Rizek, apresentador do Redação SporTV (Crédito: Reprodução)

A manhã desta quarta-feira, que marcou um ano para a Olimpíada do Rio de Janeiro, não teve só celebração, mas um tom bastante crítico. Foi o que se viu no Redação SporTV, que atacou também colocou o dedo nas feridas dos Jogos. O programa apresentou depoimentos de correspondentes internacionais sobre a visão dos estrangeiros sobre o evento e um relato de violência da cidade do próprio apresentador André Rizek.

“O que o seu veículo quer saber de você, correspondente, sobre os Jogos Olímpicos Rio 2016?” Essa foi a pergunta da atração esportiva. Seguem as respostas:

Eric Frosio, correspondente do jornal L’Equipe (França)

“A cidade do Rio tem coisas muito positivas e coisas muito negativas. Tem ainda aquela visão de ser uma cidade um pouco perigosa, violência, favela, tráfico etc., e ao mesmo tempo tem o lado do mar, da beleza, da qualidade de vida incrível. Essa mistura faz do Rio de Janeiro uma cidade muito interessante para os franceses. Querem saber como funciona essa cidade. Os cariocas estão um pouco cansados desses investimentos que para eles não deram nada. Legado da Copa do Mundo não teve nada e o que as Olimpíadas irão deixar é difícil de enxergar. Os cariocas estão um pouco de saco cheio de tudo isso.”

Eric Frosio, correspondente do jornal francês L'Equipe (Crédito: Reprodução)

Eric Frosio, correspondente do jornal francês L’Equipe (Crédito: Reprodução)

João Pacheco, correspondente da emissora RTP (Portugal)

“Hoje em dia tá muito em evidência esses escândalos todos de corrupção e se isso terá reflexo nas obras que estão sendo feitas para os Jogos Olímpicos.”

“A grande dúvida é quanto aos prazos, que tudo seja feito com segurança. Como no Mundial, pontualmente durante a Olimpíada o Rio de Janeiro vai estar mais seguro, vai ser o período que as pessoas vão sentir menos medo. A dúvida é o que vai acontecer depois dessa operação concreta e pontual. Os estrangeiros têm em relação ao Rio essa dúvida, esse receio.”

João Pacheco, correspondente da emissora portuguesa RTP (Crédito: Reprodução)

João Pacheco, correspondente da emissora portuguesa RTP (Crédito: Reprodução)

Tim Vickery, correspondente da BBC (Inglaterra)

“Cheguei a Londres três semanas antes dos Jogos [de 2012] e tudo, tudo era negativo. Parecia que o evento não pertencia ao povo, todo mundo reclamando do COI (Comitê Olímpico Internacional), um clima muito negativo.“

“Começou a mudar com a passagem da tocha olímpica pelos vários bairros da cidade, porque era uma coisa inclusiva. E com a Cerimônia de Abertura ficou quase impossível criticar, porque ela foi feita para nós, para o público inglês, britânico. Tanto que tiveram narradores brasileiros que não entenderam muita coisa, mas é que não era feito para eles, era feito para nós. E o povo adorou tanto isso que ficou duas semanas num estado de graça, foi extraordinário viver esse clima.”

“Pode debater sobre gastos valeram a pena ou não, se todos os objetivos foram alcançados, mas ninguém discute que aquelas duas semanas foram boas demais. E eu espero o mesmo clima aqui no Rio de Janeiro daqui a um ano.”

Karin Duarte, correspondente do SporTV em Nova York, nos EUA

“Quando a gente fala que é brasileiro e fala-se de Olimpíada a primeira pergunta é: o Rio está pronto? Tá preparado a um ano dos Jogos? Vai dar tudo certo? A cidade tem condições de receber um evento como esse? Depois do sucesso de organização da Copa do Mundo, não só no Rio, mas em todo o Brasil, essa preocupação dos estrangeiros diminuiu um pouco e muita gente confia que o Rio de Janeiro vai conseguir fazer bons Jogos.”

“A questão da segurança é muito importante. Um jornalista de uma TV do Texas que já está no Brasil é acompanhado o tempo todo por um produtor brasileiro justamente por questões de segurança para que tudo ocorra bem. E a CNN fala de um relatório da Anistia Internacional que fala que a Polícia Militar teria cometido 16% dos homicídios na cidade do Rio nos últimos cinco anos e que mais de 1,5 mil pessoas morreram pelas mãos da polícia, de acordo com a organização dos direitos humanos.”

Prédio blindado da Globosat

As respostas dos correspondentes dos veículos francês e português, falando de violência e corrupção, mereceu o seguinte desabafo de André Rizek no programa que comanda: “a vergonha que eu tenho vendo esses depoimentos, e sei que você aí em casa tem essa mesma vergonha, é que parece impossível para o estrangeiro falar do Brasil sem citar corrupção e violência.”

E Rizek aproveitou na mesma atração para expor uma situação prática do problema da violência que os cidadãos cariocas têm de conviver no dia-a-dia, incluindo funcionários da TV.

“Nós, da Globosat, estamos na Barra da Tijuca, que é um bairro nobre do Rio de Janeiro, relativamente próximos aos locais de competição e saindo do trabalho eu conto mais de dez funcionários da casa que já foram assaltados em qualquer hora do dia. E no local onde era a Globosat até 2010, o prédio tinha vidros blindados, porque era perto de uma comunidade e de vez em quando uma bala perdida respingava no prédio da Globosat.”

O Redação SporTV ainda repercutiu declaração do biólogo brasileiro Mario Moscatelli, referência quando o assunto é poluição, ao jornal El País. À publicação espanhola, ele garante em reportagem publicada nesta semana não haver interesse por parte das autoridades na limpeza da Baía de Guanabara, local de competições náuticas nos Jogos do Rio.

“A recuperação da Baía não correu porque os políticos se beneficiam de sua degradação: a cada certo período de tempo recebem recursos milionários para sua limpeza, mas não gastam com responsabilidade. A Baía de Guanabara degradada é uma mina de ouro para gestores acostumados à impunidade”, afirmou o profissional.

Rogerio Jovaneli
Do UOL, em São Paulo


Miele faz jornalistas do Sportv revelarem que viam game erótico escondidos
Comentários Comente

UOL Esporte

Miele-Redacao_ReproducaoSportv

A presença de Luís Carlos Miele no Redação Sportv desta sexta-feira (31) fez jornalistas do canal falarem do ‘Cocktail’, programa do convidado no SBT na década de 90 e dedicado ao público adulto, com nudez feminina. “Miele faz parte das minhas reminiscências de infância e adolescência”, comentou um animado Carlos Cereto, editor-chefe do jornalismo do canal.

“Quem não assistiu ao Cocktail, as garotas tim-tim? Isso aí faz parte da história da televisão brasileira”, completou ele, empolgado, motivando pergunta de Miele: “Cereto, o que você fazia escondido naquela época, enquanto assistia, chamava de ‘reminiscências’?”

“Exatamente. Tinha que assistir escondido, pois não tinha idade pra isso”, respondeu Cereto.

O apresentador André Rizek foi outro que mostrou-se empolgado com as ‘recordações infanto-juvenis’. “Eu também assistia escondido o Cocktail”, comentou.

“Você também se ‘reminiscenciava’?”, questionou Miele. “Eu me reminiscenciei muito vendo Cocktail”, brincou o apresentador.

Exibido pela TV de Silvio Santos entre 1991 e 1992, o Cocktail era uma espécie jogo disputado entre dois participantes, geralmente um homem e uma mulher. Na atração havia as ‘garotas tim-tim’, representando frutas diferentes, que exibiam os seios conforme cada brincadeira.

Também participavam as ‘garotas-estado’, que faziam um quase completo striptease. O programa terminava justamente com uma das modelos tirando toda a roupa.

“Tinha uma coisa engraçada [no programa]: quem descobriu o Brasil? Pedro Álvares Cabral. Acertou, então mostra o peitinho. Quem descobriu o Brasil? Cristóvão Colombo. Errou, mostra o peitinho. Eu pensei em fazer do Cocktail uma coisa levando assuntos até meio culturais, usando de pretexto a mulher nua para chegar nesses assuntos, mas não era bem o que o programa pretendia”, relembrou Miele.

“Engraçado que, para muita gente, fiquei como um demônio. Uma vez estava esperando o elevador, a porta abriu e tinha uma senhora com uma criança. Quando ela me viu, tampou o rosto da criança. [Como se falasse] ‘olha, o demônio está aí’. Mas hoje [o Cocktail] seria um programa infantil”, brincou Miele.


Leifert fala antes de despedida: “saio sem nada errado, ganhei a Champions”
Comentários Comente

UOL Esporte

Leifert-Rizek-RedacaoSportv_Reproducao-Sportv
Convidado para uma rápida participação no Redação Sportv desta segunda, dia que marca a sua despedida como apresentador e editor do Globo Esporte de São Paulo, Tiago Leifert manifestou o seu contentamento por, segundo suas palavras, estar saindo do programa sem que nada tivesse dado errado para gerar a mudança como, geralmente, ele avalia, as coisas ocorrem na TV.

“Na televisão, as coisas só funcionam quando dão errado, né? Depois que termina, você troca, aí vem um cara, começa a dar certo, depois troca de novo porque deu errado, então quando dá errado acontece alguma coisa. E eu tô muito feliz de estar saindo sem ter dado nada errado, tá tudo bem, a audiência tá boa e eu tô saindo para fazer uma outra coisa. Eu sinto que ganhei a Champions League, sem brincadeira”, declarou ali, relatando sobre a emoção também que já toma conta dos bastidores da atração. “Obviamente, no ar eu vou chorar pra caramba, nesse momento a ‘voz da consciência’ [Renata Cuppen] tá chorando ali, e o Bruno Laurence, também. Estava consolando o Bruno”, contou.

André Rizek, comandante do Redação Sportv no Rio de Janeiro, relembrou com Leifert na escuta dele, na redação de São Paulo, do quanto achava maluco, há seis anos, a ideia de o colocarem para comandar o GE paulista. “Quando fiquei sabendo, em 2009, que ele iria apresentar o Globo Esporte, eu falei ‘que loucura, esse moleque vai durar três dias lá’. Deu certo e deu tanto certo que o Tiago ele transformou a linguagem do jornalismo esportivo no Brasil, essa empresa aqui, quebrou tabus, falou de coisas que a gente achava que não falaríamos antes, fez uma revolução. Parabéns, você arrebentou e sucesso na nova empreitada”, afirmou.

“Mal sabia você que no projeto original do Globo Esporte lá em 2009, quando você me achava um maluco, eu tinha colocado seu nome para ser comentarista do programa, também, então você se salvou dessa barca”, devolveu Leifert, rindo, que agradeceu: “mas eu fico feliz de ver você aí no Redação. Tenho um carinho enorme pelo Sportv, porque foi aí que eu comecei, foi quem me contratou.”

As mudanças no esporte da TV Globo

Tiago Leifert ruma a um novo desafio na carreira, no entretenimento da Rede Globo, como um dos apresentadores do É de Casa, nova atração das manhãs de sábado, a partir de 8 de agosto,com Patrícia Poeta, também ex-jornalismo (esteve na bancada do Jornal Nacional), além de Zeca Camargo, Cissa Guimarães, Ana Furtado e André Marques. Por lá, Leifert vai falar de esporte e cultura nerd.

No seu último GE nesta segunda, Tiago passará a Ivan Moré a apresentação da edição paulista do esportivo. A partir do próximo domingo, Alex Escobar passa a coapresentar, em lugar de Moré, o Esporte Espetacular ao lado de Glenda Kozlowski, enquanto Fernanda Gentil assume o Globo Esporte do Rio de Janeiro.


Apresentador do Sportv assume que audiência bomba com Luxa: acima da média
Comentários Comente

UOL Esporte

Não é muito comum ver alguém da Rede Globo falar da própria audiência no ar. Pois foi o que fez nesta quinta André Rizek, apresentador do Redação Sportv, mesa redonda matinal do canal da Globosat. Dizendo-se estar propondo uma reflexão ali, Rizek analisou todo o peso midiático do técnico Vanderlei Luxemburgo: “reflito um pouco, e é mérito do Luxemburgo isso, sobre como o Vanderlei é um cara que atrai mídia, desperta a atenção das pessoas”, avaliou

E então o jornalista citou o bom resultado da audiência do próprio Sportv, segundo ele fora do padrão normal, segundo ele pela simples presença de Luxa na tela da emissora esportiva: “a gente mostrou aqui ao vivo, no Redação, a entrevista coletiva que ele deu, quando o Flamengo anunciou a demissão dele, e a audiência foi fantástica, não só de flamenguistas, tivemos uma audiência acima da nossa média.”

“Nem sei se posso contar essas coisas, mas já tô contando”, afirmou, na sequência, possivelmente ciente que havia feito algo fora do padrão global, e depois disse notar grande destaque ao “pofexô” inclusive na Globo aberta, em seus principais telejornais, como o bloco de gols do Jornal da Globo. “É um cara que atrai muita mídia. Mérito do Vanderlei, maior vencedor de campeonatos brasileiros e que desperta muita curiosidade”, finalizou.


Tas volta a “cornetar” Ceni e diz que goleiro impediu surgimento de ídolos
Comentários Comente

UOL Esporte

8809

Mais uma vez o apresentador Marcelo Tas resolveu “cornetar” o goleiro Rogério Ceni. Depois de ironizar o jogador do São Paulo, quando ainda estava no CQC, por causa de uma adiantada em pênalti no Paulistão de 2013, desta vez ele disparou contra o excesso de zelo do ídolo são-paulino.

“Eu sei por que ele (Milton Cruz) não quer ser técnico: porque o São Paulo já tem um técnico, e o Sabella sabe disso, que é o Rogério Ceni. Nenhum técnico em sã consciência vai pegar um time onde ele não pode mandar”, disparou Tas durante sua aparição no programa Redação Sportv.

“O Rogério, para mim, prejudicou o São Paulo no momento que poderia ser mais legal da vida dele, que era coroar a carreira brilhante dele no futebol, mas ele ocupou um espaço que prejudicou o São Paulo. Para mim, ele causou um eclipse no time do São Paulo ao prorrogar uma carreira que era para ter terminado dois, três anos atrás”, complementou.

Para o apresentador, que não esconde sua torcida pelo Santos, a prolongada carreira do atleta de 42 anos imepdiu não só que outros goleiros surgissem no time, como também ofuscou o surgimento de novos ídolos no São Paulo.

“Tem muito são-paulino que ficava irritado quando eu falava isso. Hoje percebo que são vários que percebem que não é uma questão de implicância com o Rogério, mas de ver que ele ‘eclipsou’, como eu falei, o surgimento de muita gente”, analisou Tas.

“Deixaram de surgir no São Paulo muitos líderes, centroavantes, atacantes, ídolos, porque o lugar é dele, todo mundo vai com a camisa dele para o estádio. Se ele tivesse tido a grandeza de sair antes, teria colaborado mais com time”, acrescentou o apresentador.


Saudades? Roberto Avallone será comentarista convidado do Sportv
Comentários Comente

UOL Esporte

roberto-avallone-jornalista-1369364205121_564x430

Flávio Florido/Folhapress

Roberto Avallone está de volta aos programas esportivos. Apresentador ícone da televisão aberta, ele será comentarista convidado do Redação Sportv. O canal fechado chegou a um acordo com o jornalista para uma participação semanal, sem dia fixo.

Aos 66 anos de idade e com quase 40 de experiência no jornalismo esportivo, Avallone se diz animado com o novo momento na carreira e comemora o acerto com a emissora.

O convite veio do próprio apresentador André Rizek, durante um almoço. Ele já havia participado da atração em 2014, no centenário do Palmeiras. Na última terça-feira (17), o jornalista retornou outra vez como convidado e agora frequentará o programa uma vez por semana.

“Fico feliz. Eu gosto do Sportv, me senti bem, um canal de nível. O chefe é o Rizek, com quem me dei bem. Eu nem sabia que ele assistia em outros tempo ao Mesa Redonda, da Gazeta, no local. Achei o nível muito bom, dos participantes, dos profissionais. Estou gostando”, disse em entrevista ao UOL Esporte.

Após anos na televisão aberta, Avallone terá pela primeira vez a experiência de participar em uma atração de emissora fechada e em um programa de manhã, sem ser no tradicional horário do almoço ou no domingo à noite. Mesmo assim, o agora comentarista não vê tanta diferença.

“A única coisa diferente da TV aberta é que lá não se sabe o ibope online. Eu gostava com a adrenalina de ver como estava a audiência. Agora eu gosto porque fico mais calmo”, analisou.

Apesar de não ter exatamente um contrato profissional com o canal, Avallone não descarta outras oportunidades, tanto que pode emplacar em breve outro projeto. Sem entrar em detalhes, ele diz trabalhar com a ideia de um game show independente, que já chamou atenção do canal fechado.

O último programa comandado por Roberto Avallone, o “No Pique”, da CNT, saiu do ar em 2012. Na Copa do Mundo de 2014, ele foi comentarista do UOL Esporte.

Patrick Mesquita 

Do UOL, em São Paulo 

CLIQUE E VOTE NO MELHOR COMENTARISTA DO BRASIL


Alarme ‘misterioso’ atrapalha entrevista em programa do SporTV
Comentários Comente

UOL Esporte

 

ariel2

Quem assistiu ao programa ‘Redação SporTV’ na manhã desta quinta-feira pode ter levado um susto. O motivo: um alarme, sem origem clara, disparado durante a atração.

O incidente aconteceu durante uma entrevista do apresentador, André Rizek, com Ariel Palacios, correspondente do jornal O Estado de S. Paulo e do canal Globo News em Buenos Aires.

O programa transcorria normalmente enquanto Rizek conversava com Palacios sobre o título do Huracán na Copa Argentina sobre o Rosário Central. Foi aí que a conversa foi interrompida pelo trilar de um alarme disparado no estúdio do programa.

Nas redes sociais, o feito não passou despercebido.

A intervenção sonora, porém, durou poucos segundos. A entrevista voltou ao normal em seguida.

Era o toque de um celular? Era um carro perto do estúdio?


Programa do SporTV é acusado de machismo ao analisar polêmica no basquete
Comentários Comente

UOL Esporte

rizek

Crédito da imagem: Reprodução

O Redação SporTV desta sexta-feira foi marcado por uma polêmica. Ao analisar o comentário realizado pelo locutor Carlos Olías de Lima, que foi afastado do Mundial de basquete por uma declaração machista sobre as cheerleaders do torneio, André Rizek e os comentaristas do programa acabaram sendo acusados de sexismo nas redes sociais.

O caso aconteceu nesta quinta-feira (04), durante a partida entre República Dominicana e Nova Zelândia. Em um dos intervalos do jogo, as cheerleaders entraram em quadra para sua apresentação. Ao fim da dança ao som de “Bailando”, música de Enrique Iglesias, o locutor disse:”Quem dera passar uma noite com uma das dançarinas”.

No entanto, a jornalista Maitane Junquito criticou o comentário em artigo no site espanhol En Cancha, com a manchete “Espanha 2014: machismo no Mundial de basquete”, o que custou o afastamento do locutor

Tudo começou quando Arthur Dapieve, um dos convidados da atração, afirmou que o locutor apenas elogiou as garotas. “A maldade parece estar na cabeça da jornalista porque uma noite louca pode ser uma noite de xadrez, seria uma noite louca. Besteirada. Se o cara tivesse sido grosseiro eu concordaria com o pedido de desculpas, afastamento. Ele fez um gracejo, mas, do meu ponto de vista, ele estava enchendo a bola daquelas moças. Claro que vou ser considerado machista, mas elas não representam a fina flor da mulher espanhola”, disse.

Em seguida foi a vez do italiano Dani Monti, outro convidado, dar a sua opinião sobre o tema. “Você está colocando aquelas meninas ali para agradar a torcida masculina, é normal no esporte. O comentário de repente foi grosseiro. Pode afetar a personalidade de alguém. Ele poderia ter falado que era para quem não era casado, não sei. Não achei nada demais”, analisou.

“Todo mundo sabe a fraqueza do homem. O homem também gosta de um visual bonito. Essas meninas eram lindas, fizeram uma coreografia linda. Nada impede de falar que são lindas. Imagina se ele falasse o contrário? Aí eu acho que afetaria as meninas que estão ali para fazer o papel de bonitas. Qual mulher não gostaria de receber um elogio? O cara fez um elogio, do jeito dele. De repente grosseiro para alguém, mas um elogio”, afirmou.

Rizek tentou explicar que o fato de a organização do torneio colocar garotas com roupas curtas em quadra já é um ato sexista. Só que a interpretação nas redes sociais foi outra e o programa passou a ser criticado. O apresentador notou a repercussão negativa e voltou a esclarecer o seu pensamento, pedindo desculpas pelo mal-entendido.


André Rizek já foi gogo boy por um dia
Comentários Comente

UOL Esporte

Apresentador do Redação SporTv, André Rizek também foi vítima de mais uma revelação do diretor de novela Denis Carvalho, convidado desta terça-feira do programa. O jornalista, quando trabalhava em outro veículo de imprensa, foi gogo boy por um dia.

Antes, Denis Carvalho havia dito que Alexandre Pato está namorando uma atriz da novela ‘Sangue Bom’. Pouco depois, o diretor relembrou que no início da carreira de Rizek, quando ele ainda trabalhava na revista Playboy, ele fez uma matéria em que viveu um dia de gogo boy.

Em meio a risadas, André Rizek tirou o seu da reta e afirmou que teve uma atuação desastrosa na função.

Os gogo boys são dançarinos que trabalham semi-nus no entretenimento de festas e clubes noturnos para mulheres ou homossexuais.

QUEM É O MELHOR APRESENTADOR ESPORTIVO DO BRASIL? VOTE


Comentarista do Sportv critica filiada da Globo no RS ao vivo
Comentários Comente

UOL Esporte

O comentarista Telmo Zanini deu bronca ao vivo na produção da RBS TV, filiada da Globo no Rio Grande do Sul, durante o “Redação Sportv” desta sexta-feira.

Quem é o melhor comentarista da TV esportiva? VOTE NA ENQUETE DO UOL

Após o correspondente Paulo Brito dar informações sobre o estados das obras do Beira-Rio para a Copa 2014, Zanini pediu a palavra e criticou as imagens antigas exibidas pela produção.

“Paulo Brito, vou te fazer um pedido aqui. Pede para o nosso pessoal muito competente aí da RBS mandar umas imagens mais recentes do Beira-Rio, porque esta que nós passamos aí são muito antigas”, disparou.

“Estive lá há duas semanas, e quem vê essas imagens aí vai pensar que está atrasadíssimo. Isso aí deve ser de três ou quatro meses atrás”, continuou.

“Alô, pessoal. Imagens novas do Beira-Rio com gramado, com as traves, que já estão lá…”, finalizou Zanini.

Ao final de sua participação, Paulo Brito prometeu providenciar imagens novas do estádio do Internacional assim que possível.

Confira no vídeo:

[uolmais type=”video” ]http://mais.uol.com.br/view/14421527[/uolmais]