Blog UOL Esporte vê TV

Arquivo : fluminense

Ex-árbitros veem acerto de juiz em Corinthians x Flu; veja os lances
Comentários Comente

UOL Esporte

A classificação do Corinthians para as quartas de final da Copa do Brasil fez com que o Fluminense saísse irritado de campo. Depois da derrota por 1 a 0, os jogadores do time carioca reclamaram de cinco lances considerados, por eles, polêmicos: três impedimentos e dois pênaltis não marcados.

Os lances reclamados pelo Fluminense repercutiram nas transmissões de ESPN e Globo. Nelas, os ex-árbitros Sálvio Espíndola e Leonardo Gaciba concordaram com as decisões de Rodolpho Toski Marques.

“Três grandes decisões, todas em favor do Corinthians. Apesar de grande decisão, porque anular um gol é grande decisão, foram três acertos da arbitragem. A gente viu que foram bem anulados”, analisou Sálvio.

Confira os lances reclamados pelo Fluminense:

5min (1ºT) – Gol anulado de Cícero

Logo aos cinco minutos, Gustavo Scarpa cobrou falta em direção à área e Cícero cabeceou para o gol. O tento, no entanto, foi anulado por impedimento. As imagens mostraram que o jogador do Fluminense estava em posição irregular, à frente da linha da defesa corintiana.

8min (1ºT) – Segundo gol anulado de Cícero

O segundo lance foi bastante parecido com o primeiro. Após cobrança de falta de Gustavo Scarpa, Cícero apareceu para cabecear para o fundo das redes de Cássio. O gol também foi anulado por impedimento. As imagens, mais uma vez, mostraram que o meia, realmente, estava em posição irregular.

42min (1ºT) – Lance entre Giovanni Augusto e Cícero

O primeiro pedido de pênalti do Fluminense aconteceu no final da etapa inicial. Após cruzamento para a área, Giovanni Augusto se chocou com Cícero, que foi ao chão. O árbitro mandou o lance seguir.

“O Giovani chega ombro com ombro, não tem uma ação de empurrão, não tem uma ação de carga. Se fosse nas costas, seria indiscutível, seria falta”, analisou Sálvio Espíndola.

“Contato de ombro no primeiro lance. Cícero deixa o corpo amadurecer e se atira. Sente o ombro a ombro e se atira claramente”, analisou Leonardo Gaciba.

Apresentador do Sportv, André Rizek teve uma opinião diferente dos ex-árbitros. Para ele, o lance de Giovanni Augusto foi “bobo” e faltoso. “Pênalti claro (e bobo) não marcado no Cícero no primeiro tempo”.

15 min (2ºT) – Gol anulado de Richarlison

Assim como acontecera na primeira etapa, o Fluminense foi às redes em cobrança de falta. No lance, Scarpa cobrou em direção à área, Henrique desviou e Richarlison, impedido, mandou para as redes. Apesar da demora, a arbitragem optou por anular o tento. O gol de Richarlison, porém, foi anulado, pois o atacante estava em condição irregular. Mais uma vez, as imagens mostraram o impedimento do jogador do Fluminense.

49min (2ºT) – Lance entre Richarlison e Fagner

No último lance do jogo, Richarlison dividiu uma bola com Fagner dentro da área e foi ao chão. O jogador do Fluminense reclamou de um possível pênalti, mas o árbitro mandou seguir.

Na transmissão da “Globo”, Leonardo Gaciba, comentarista de arbitragem, negou a existência de uma falta na jogada. “Teve o contato físico, mas o jogador já está caindo, claramente. Está deixando o corpo cair antes do contato, já está se atirando, girando o corpo. Para mim, nada”, afirmou.

A opinião de Gaciba foi corroborada por outro ex-árbitro: Sálvio Espíndola, atual comentarista de arbitragem da “ESPN”. Durante a transmissão, Sálvio deu razão para o árbitro Rodolpho Toski Marques.

“A imagem mostra o Richarlison já caindo e Fagner querendo recolher a perna e levantar. Tem um contato físico posterior ao Richarlison caindo. Tem um toque, mas é um toque em que o Richarlison já está se projetando. O movimento do Richarlison, para mim, mostra que não se deve marcar essa falta”.

Durante a transmissão do Sportv, o comentarista Wagner Vilaron foi voz dissonante na discussão no canal. Ele viu falta no lance. Para ele, o joelho de Fagner acerta Richarlison e resulta na falta.

Opinião dos blogueiros

Juca Kfouri: “Tricolor reclama de dois pênaltis em dois lances em que tanto Cícero quanto Richarlison se atiraram na área ao sentir que foram tocados”.

Julio Gomes: “O choro (de Peter Siemsen, presidente do Fluminense) teve todas as características para ser chamado de ‘mimimi’. Um exagero completo. Nunca vemos dirigentes falando com tanto fervor quando arbitragens ajudam seus times, somente quando atrapalham – ou supostamente atrapalham. Por isso, entre outras coisas, eles vão perdendo credibilidade”.

PVC: Mesmo que o Fluminense possa reclamar da arbitragem e a impressão é de que houve pênalti de Fágner sobre Richarlison no último lance do jogo, o Corinthians deu sinais de ser mais intenso do que vinha sendo.


Comentaristas do Sportv não foram unânimes sobre pênalti em Grafite
Comentários Comente

UOL Esporte

O lance que originou o segundo gol do Santa Cruz no empate por 2 a 2 contra o Fluminense gerou muita polêmica no estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda. Aos 37 minutos do segundo tempo, Grafite, próximo à linha de fundo, se preparava para chutar para a pequena área no momento em que esbarrou em Wellington Silva e caiu. O árbitro Jailson Macedo Freitas marcou pênalti e revoltou os atletas do clube carioca e o técnico Levir Culpi.

Comentaristas do Sportv não foram unânimes sobre o lance. Após o duelo em Volta Redonda, Roger Flores e Juliano Belletti, debatedores do “Troca de Passes”, divergiram sobre o pênalti em Grafite.

Belletti concordou com a decisão tomada pelo árbitro. “Se fosse fora da área, o árbitro marcaria falta, normal, e ninguém ia reclamar. Se fora da área eu marcaria falta, dentro também é. Para mim, pênalti”, opinou.

Logo após o comentário do colega, Roger rebateu: “Para mim, não é falta nem pênalti. Não é nada. Tem que seguir o lance”.

Raphael Rezende, que participou da transmissão em Volta Redonda e do pós-jogo, compreendeu o argumento de Belletti e disse que não considerava tão absurda a interpretação do árbitro: “Eu entendo o que o Belletti falou. A ação do Wellington Silva não é das mais inteligentes. Cercar era mais inteligente. Esse lance, fora da área, passa batido. Sinceramente, é o tipo de falta que tinha que sumir. Não vai marcar? Não marca em lugar nenhum. O [árbitro] Jaílson [Macedo de Freitas] marcou dentro da área, o que aumenta, claro, o peso da decisão, o peso da jogada”.


Santos e Botafogo: menos jogos na Globo e mais às 11h. Palmeiras sem matinê
Comentários Comente

UOL Esporte

Com jogos nas noites de segundas-feiras, às 20h, fato inédito, o Campeonato Brasileiro terá em suas primeiras 11 primeiras rodadas partidas em, nada mais nada menos, que 21 combinações dias/horários, incluindo o de domingo às 11h, de tanto sucesso entre torcedores e de preocupação para comissões técnicas e jogadores. Dos grandes paulistas, só o Palmeiras se livrou. Já entre os times cariocas todos atuarão na “matinê” nesse início da competição.

Santos e Botafogo, as equipes do eixo Rio-SP com menos partidas transmitidas na TV aberta (apenas duas, casa), estão entre aquelas que mais atuarão no horário exclusivo do Premiere (serviço pay-per-view da Globosat): três oportunidades, cada, juntamente com Ponte Preta e Flamengo. Peixe e Glorioso se enfrentarão às 11h, inclusive.

Já os times mais populares do país, Corinthians e Flamengo, geralmente aqueles com mais jogos exibidos na Globo, ao menos nas primeiras 11 rodadas ficarão atrás nesse quesito em relação aos Tricolores, paulista e carioca. São Paulo e Fluminense terão seis partidas, cada um, mostradas na televisão aberta para as respectivas praças, paulista e do Rio, contra duas, cada, de corintianos e rubro-negros.

Fluminense e São Paulo entrarão em campo apenas uma vez, cada, nas manhãs dominicais. No caso do Tricolor das Laranjeiras, no clássico Fla-Flu. O Corinthians terá duas partidas no controverso horário, segundo a tabela divulgada pela CBF – Confederação Brasileira de Futebol (ver abaixo)

Transmissões para praças de São Paulo e Rio de Janeiro:

São Paulo:

São Paulo: 6 jogos transmitidos para a praça paulista (sendo 2 clássicos estaduais)

Corinthians: 4 jogos (sendo 2 clássicos estaduais)

Palmeiras: 3 jogos (sendo 2 clássicos estaduais)

Santos: 2 jogos (ambos clássicos estaduais)

Domingo, 15/5, 16h: Corinthians x Grêmio

Domingo, 22/5, 16h: São Paulo x Internacional

Quarta, 25/5, 21h45: Coritiba x São Paulo

Domingo, 29/5, 16h: São Paulo x Palmeiras

Quarta, 1/6, 21h45: Corinthians x Santos

Domingo, 5/6, 16h: Flamengo x Palmeiras (para SP e RJ)

Domingo, 12/6, 16h: Palmeiras x Corinthians

Quarta, 15/6, 21h45: São Paulo x Vitória

Domingo, 19/6, 16h: Flamengo x São Paulo (para SP e RJ)

Quarta, 22/6, 21h45: Atlético-MG x Corinthians

Domingo, 26/6, 16h: Santos x São Paulo

Rio de Janeiro:

Fluminense: 6 jogos transmitidos para a praça do Rio (sendo 2 clássicos estaduais)

Flamengo: 4 jogos (nenhum deles clássico estadual)

Botafogo: 2 jogos (um deles clássico estadual)

Domingo, 15/5, 16h: América-MG x Fluminense

Domingo, 22/5, 16h: Grêmio x Flamengo

Quarta, 25/5, 21h45: Palmeiras x Fluminense

Domingo, 29/5, 16h: Fluminense x Botafogo

Quarta, 1/6, 21h45: Atlético-MG x Fluminense

Domingo, 5/6, 16h: Flamengo x Palmeiras (para SP e RJ)

Domingo, 12/6, 16h: Fluminense x Grêmio

Quarta, 15/6, 21h45: Cruzeiro x Flamengo

Domingo, 19/6, 16h: Flamengo x São Paulo (para SP e RJ)

Quarta, 22/6, 21h45: Fluminense x Santos

Domingo, 26/6, 16h: Internacional x Botafogo

Jogos de paulistas e cariocas no domingo, às 11h: 

15/5 – Botafogo x São Paulo e Botafogo x São Paulo

22/5 – Santos x Coritiba

29/5 – Sport x Corinthians e Ponte Preta x Flamengo

5/6 – Santos x Botafogo e Santos x Botafogo

12/6 – Santa Cruz x Santos e Figueirense x Flamengo

19/6 – Corinthians x Botafogo e Corinthians x Botafogo

26/6 – Flamengo x Fluminense

Rogerio Jovaneli
Do UOL, em São Paulo


Capita condena postura arrogante de Fred pós-jogo: não é o que pensa que é
Comentários Comente

UOL Esporte

capita
As declarações de Fred, atacante do Fluminense, sobre o zagueiro Rodrigo, com quem se desentendeu durante o clássico carioca deste domingo, diminuindo a carreira do defensor do Vasco, incomodaram o ex-jogador comentarista do Sportv, Carlos Alberto Torres, que deu uma cutucada em Fred.

“Esse jogador aí acho que ele deveria desfrutar mais desses últimos momentos dele. Estava aposentado, recuperaram ele e deveria ter aproveitado essa segunda chance que Deus tá dando pra ele para fazer amizades, coisas boas pro futebol e infelizmente não é isso que acontece. Mas, sinceramente, não trocaria esse instante, esses três pontinhos de hoje [da vitória do Vasco], essa situação que ele vive pela minha. Eu olho pra trás, vejo tudo, olho pra frente, não troco o que eu tenho pelo que ele representa, o que ele tem”, atacou Fred.

E o Capita condenou a postura do camisa 9 tricolor: “foi uma deselegância do Fred com um companheiro de profissão. Não poderia falar o que falou, que o cara já tava aposentado, isso é falta de respeito, ainda mais o Fred pela experiência que tem de futebol”, iniciou.

O comentarista ainda aproveitou para dar o seu recado para Fred: “não fica achando que é o suprassumo do futebol, não. Bom jogador, fez muitos gols, mas tecnicamente não é talvez o que pensa que é, não, ou o que foi e que vai ser. Desaprovo a conduta.”

E, irônico, deu outra dica para o zagueiro do Vasco: “quero sugerir uma coisa para o Rodrigo. No próximo jogo faz que nem toureiro, olé e deixa o Fred passar e fazer o gol que aí ele não vai sair do campo assim falando.”


Sportv fará piada com polêmica de Peninha sobre Ronaldinho e Fluminense
Comentários Comente

uol

peninha

“O jogador mais mau caráter da história do Brasil, Ronaldinho Gaúcho, vai jogar no time mais mau caráter do Brasil, o Fluminense, que deveria estar na Série C, que roubou e voltou para a Série B sem pagar a Série C, que ganhou um Brasileiro roubando cinco jogos, um atrás do outro, que deveria estar na Série B agora. Um clube mal caráter para um jogador mal caráter”. Essa fala do jornalista e escritor gaúcho Eduardo Bueno, o irreverente Peninha, no Extra Ordinários do último domingo, apesar de dada num programa de entretenimento do Sportv cheio de gracinhas e nenhuma preocupação jornalística, fez um barulho entre torcedores do clube carioca. Como resolver o imbróglio? Farão piada na edição seguinte, domingo que vem.

O diretor do Extra Ordinários, Gabriel Moojen, afirmou à colunista Patricia Kogut, do jornal “O Globo”, que ninguém ali tem nada contra o Fluminense e que usarão uma forma divertida para colocar fim à discussão: brincarão de “contra ou favor” da ida de Peninha para a “geladeira” (afastamento), com direito à vídeos postados por seus companheiros de programa, Xico Sá, Felipe Andreoli e os Cassetas, cada um deles com seus pareceres sobre o caso.

Vale lembrar que Eduardo Bueno é gremista doente e, justamente por isso, dessa condição dele de torcedor, não tem lá muito carinho pelo meia que, em 2011, gerou irritação entre torcedores do tricolor gaúcho ao optar por voltar ao futebol brasileiro não ao Grêmio, como era dado como certo, mas ao Flamengo.

O clube havia preparado uma grande festa para anunciá-lo, com direito a faixas e caixas de som no estádio Olímpico e, com a reviravolta na negociação, entendeu-se ali que Ronaldinho e seu empresário, o irmão Assis, usaram o clube, fazendo leilão, em busca apenas da melhor condição financeira. E isso ele tendo sido revelado no Grêmio. Pegou mal aquele “agora eu sou Mengão” no coração tricolor.

Peninha e a polêmica com os nordestinos

Eduardo Bueno, o Peninha, que tem na irreverência uma de suas características mais fortes, falava sobre a presença holandesa no Nordeste brasileiro no século 17 quando soltou uma frase que gerou polêmica no mesmo Extra Ordinários, durante a Copa do Mundo: “a Holanda juntou o útil de ocupar a área açucareira do Brasil, porque todo o açúcar era refinado na área rica do Brasil – aquela bosta lá do Nordeste”.

“Isso é uma piada”, falou, na sequência. Em vão. O comentário gerou revolta em alguns telespectadores, “grita” nas redes sociais. Chegaram até a abrir uma petição pública pedindo processo criminal contra Eduardo Bueno por discriminação.

No programa seguinte, Peninha desabafou sobre o assunto em longa fala, com direito a um fo…-se às redes sociais:

“Eu tenho que falar um tema sério, sério de verdade. Não é brincadeira, é um pronunciamento. O negócio é o seguinte: eu quero declarar guerra! Guerra a nordestino babaca! Está cheio de nordestino babaca e eu conjuro e chamo todos os nordestinos verdadeiros que amam o Nordeste como eu. Eu conjuro e chamo aqui nesta sala Pierre Verger, que não era nordestino, era francês, mas sabia tudo de lá. Eu chamo Carybé, aquele homem maravilhoso que eu conheci, Antonio Risério, Leonardo Dantas, Xico Sá, Torquato Neto, que a gente cantou aqui.

Pra encher meu saco no Twitter, ficar de piu, piu, piu, pra encher meu saco em rede social. Pra entrar em protesto contra mim tem que ter lido pelo menos quarenta livros sobre o Nordeste. Tem que ter lido Rui Facó, tem que ter lido ‘Geografia da Fome’, do Josué de Castro, tem que ter lido ‘Nordeste’, do Gilberto Freyre, tem que ter lido Euclides da Cunha. Tem que ter lido!

O Nordeste que eu conheço. O Nordeste que eu adoro. O Nordeste que eu sei a formação geológica. Todos vocês que são babacas, f…-se as redes sociais. Se quiserem fazer protesto contra mim, façam. É o seguinte: chega dessa ditadura desses babacas de Twitter. Quer brigar comigo? Vem, mas leia quarenta livros e ame e venere o Nordeste como eu amo e venero o Nordeste. É isso aí! Tem uma petição pública querendo me processar. Pegaram o cara errado!”

Veja Álbum de fotos


Mário Sérgio não suportou ser chamado de moleque e deu banho em cartola
Comentários Comente

UOL Esporte

mario-sergio-nos-tempos-em-que-comandava-o-internacional-1412686686988_1024x682

Mário Sérgio sempre foi conhecido por seu estilo polêmico, e em entrevista à “Revista FOX Sports”, o agora comentarista do canal revelou mais um de seus causos, ocorrido quando foi contratado pelo Fluminense, em 1975, em um time recheado de estrelas, como Roberto Rivellino.

“Fomos excursionar pela Europa. Na Alemanha, os jogadores resolveram fazer uma festa no hotel depois da partida, com mulheres, bebida e tudo mais”, relembra o ex-jogador. “No outro dia, o presidente Francisco Horta deu um esporro em todo mundo, mas direcionou a maior parte das críticas em mim. Mas quem fez a merda toda no hotel, foi o Rivellino. Ele me chamou de moleque e tudo mais. Deitou e rolou. Fiquei com aquele negócio atravessado na garganta”.

A bronca de Francisco Horta, que segundo Mário Sérgio aconteceu por conta de seu pouco tempo de clube (havia acabado de chegar do Vitória), teve mais um capítulo pouco tempo depois, já no Brasil.

“Quando a excursão acabou, nós voltamos para o Rio e o campeonato estadual estava por um fio. Nós ficamos em uma situação de chegar e ganhar todos os jogos para ir à final. Se perdêssemos um ou empatássemos, estaríamos fora”. “Antes de entrar em campo, o presidente Francisco Horta, no vestiário, deu mais um esporro: ‘Cambada de moleque. Vamos ver se vocês conseguem apagar aquela imagem negativa lá da Alemanha’. Ele dava o esporro e sempre olhava para minha cara”.

Foi então que o troco foi dado. “Subimos para o campo, começamos perdendo por 1 a 0, eu peguei a bola e acabei com o jogo. Viramos por 3 a 1″. “O Francisco Horta, acompanhado do Carlos Eugênio Lopes, que era o auxiliar dele, e hoje é diretor jurídico da CBF, veio em minha direção com a mão esticada e disse: ‘Meu craque’. Quando ele chegou perto, agarrei a mão dele, puxei para baixo e enfie ele debaixo do chuveiro com roupa e tudo. O Carlos Eugênio Lopes falava: ‘Ele é o presidente’ e eu respondi: ‘F**-se! Moleque é o c***! Moleque é a p*** que te p***!‘”.

Por conta do ocorrido, Mário Sérgio acabou sendo afastado do elenco, voltando apenas tempos mais tarde. “Só voltei ao time porque existia um companheirismo que hoje em dia eu não vejo. O elenco exigiu a minha volta, mas não aliviaram nas piadas relacionadas à minha temporada com os juniores”.

Mário Sérgio ficou no Fluminense durante os anos de 1975 e 1976. No Tricolor, conquistou duas vezes o Campeonato Carioca.


Equipe da ESPN é hostilizada por torcedores do Flu nas Laranjeiras
Comentários Comente

UOL Esporte

20140120_173950

O atrito entre torcedores do Fluminense e a ESPN Brasil iniciado em dezembro do ano passado pelas críticas dos comentaristas do canal à decisão do STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) ganhou um novo episódio na tarde desta segunda-feira, nas Laranjeiras.  Enquanto o treino do Tricolor rolava no gramado, dois funcionários da emissora foram hostilizados no setor destinado à imprensa da arquibancada.

Tudo aconteceu quando um câmera da ESPN e outro funcionário do canal tentaram se aproximar do gramado para fazer registrar imagens do meia Conca distribuindo autógrafos a torcedores. Indignados pela presença da emissora no local, cerca de cinco sócios presentes começaram a hostilizá-lo, mas sem que houvesse ameaça de agressão física. A tensão só foi reduzida quando um segurança do clube se aproximou e botou panos quentes na discussão.

“Vocês deviam ter vergonha de vir aqui no Fluminense”, bradou um dos torcedores mais exaltados.

Como o treino já estava na etapa final, os funcionários da ESPN se retiraram do local rumo à sala de imprensa das Laranjeiras, onde seriam realizadas as coletivas após a atividade. Lá, a equipe do canal esportivo seguiu seu trabalho normalmente, já que torcedores não têm acesso a essa área.

A sede do Fluminense contava com a presença de cerca de 100 torcedores graças ao feriado na cidade do Rio de Janeiro nesta segunda-feira, que ocorre por causa do dia de São Sebastião, padroeiro do município. Antes da equipe da ESPN ser visada, o clima era de festa durante o treinamento.

Nas redes sociais, a ESPN tem sido o maior alvo de críticas de torcedores do Fluminense que se dizem vítimas de uma perseguição do canal e outros veículos de imprensa por causa da permanência na primeira divisão através do STJD. A emissora já foi alvo de críticas indiretas até mesmo do presidente Peter Siemsen.

Durante a pré-temporada em Mangaratiba, alguns tricolores chegaram a provocar os jornalistas presentes, mas diminuíram o tom ao saberem que nenhum funcionário da emissora estava no local.

Na estreia do time no Campeonato Carioca, contra o Madureira, uma parte da torcida cantou uma música contra a imprensa, com a ESPN como maior alvo.

Procurada via assessoria de imprensa, a emissora preferiu não comentar o ocorrido nas Laranjeiras.

 


Luxemburgo discute com repórter da ESPN em coletiva
Comentários Comente

UOL Esporte

Após a derrota do Fluminense para o Vitória, por 3 a 2, o técnico Vanderlei Luxemburgo teve um pequeno desentendimento com o repórter Cícero Mello, da ESPN Brasil. Durante uma pergunta na entrevista coletiva, o jornalista fez um pequeno paralelo entre a situação do comandante do Fluminense e Mano Menezes, que optou por se demitir do Flamengo porque ele não conseguia mais passar o que gostaria para o elenco. A comparação irritou o treinador do time tricolor.

Um pouco irritado, Luxemburgo cortou a pergunta do repórter de forma irônica: “Só falta você falar para eu entregar o cargo. É isso?”

Rapidamente, Cícero Mello respondeu e tentou se explicar: “Não, eu só disse o que houve com o Mano e fazer uma projeção”.

O treinador do Fluminense mais uma vez se negou a aceitar a comparação e, mais uma vez em um tom irônico, afirmou que o repórter da ESPN sempre que ser “um pouco mais do que os outros” jornalistas que estavam na sala de imprensa.

“Não tem nada a ver uma coisa com a outra. É momento do futebol, faz parte do futebol. O problema do Mano não tem nada a ver comigo no Fluminense. Deixa eu falar uma coisa para você. Você não é diferente de ninguém que está aqui. Então, nós vamos bater boca. Todo mundo faz uma pergunta, termina e deixa eu falar. Você não é diferente. O mesmo respeito que tenho por você eu tenho por todo mundo aqui. Você perguntou o que quis. Mas eu conheço você, com esse cabelo branco, acha que é sempre um pouco mais do que os outros”, afirmou.

Mesmo com o tom irônico e um pouco de irritação, Luxemburgo manteve a postura e afirmou que não gostaria de iniciar uma discussão. Além disso, o técnico fez questão de responder o repórter.

“Isso faz parte. Nada a ver com o Mano Menezes. Estamos trabalhando e as coisas estão acontecendo. No momento, o que está acontecendo dessa forma. Vamos tentar sair dessa e vamos sair. Caso contrário, a situação fica feia. Não quero lembrar do Mano Menezes, cada um toma a decisão que quer tomar. Se amanhã você quiser ir embora da sua emissora o problema é seu, você pede para ir embora e acabou. Se amanhã eu quiser sair do Fluminense ou o clube me mandar embora problema meu”, concluiu.


Globo transmitirá jogo do Corinthians para São Paulo e do Flu para todo o país
Comentários Comente

UOL Esporte

Cleber Machado narrará a partida do Corinthians para a praça de São Paulo
Crédito da foto: Luciana Cavalcanti/Folhapress

A TV Globo anunciou que irá transmitir nesta quarta-feira a partida entre Goiás e Corinthians, pelo Brasileirão, para a praça de São Paulo. O restante do país acompanhará o duelo entre Olímpia e Fluminense, que vale vaga na semifinal da Libertadores.

Cléber Machado narrará a partida do Corinthians para São Paulo, com os comentaristas Arnaldo Cézar Coelho (arbitragem) e Casagrande e com o apoio do repórter Renato Peters.

VOTE: QUAL O MELHOR COMENTARISTA DO PAÍS?

O Corinthians empatou por 1 a 1 com o Botafogo no último sábado pelo jogo de estreia do Brasileirão no Pacaembu. O Cruzeiro, por sua vez, massacrou o Goiás ao fazer 5 a 0 em casa.

O jogo do Fluminense terá narração de Luis Roberto, com os comentaristas Junior e Renato Marsiglia (arbitragem) e reportagem de Carlos Gil.

O Fluminense empatou sem gols com o Olímpia no jogo de ida no Rio de Janeiro, e precisa pelo menos de um empate com gols no Paraguai para garantir a vaga na semifinal da Libertadores.


Fred receita vestido curto e salto alto para marias-chuteiras
Comentários Comente

UOL Esporte

Fred faz sucesso com as mulheres e tem fama de pegador. Agora, ele já até dicas para as marias-chuteiras terem sucesso com os boleiros. Em entrevista à atriz Tatá Werneck, que viverá uma delas na próxima novela das 9, o atacante disse que vestido curto e salto são boas armas no xaveco.

Fred brincou com a atriz ao ser perguntado quais os truques para conquistá-lo. “Vestido curto e salto alto. Você está bem assim”, disse, sobre o look da atriz que foi ao treino nas laranjeiras gravar a matéria.

Tatá participou do quadro “Repórter por um dia”, do Fantástico. Em Amor à Vida, que estreia nesta segunda-feira, ela vai interpretar Valdirene, uma golpista louca para pegar um homem rico e famoso.

Fred disse que gosta do assédio das fãs, que cantam até uma música em sua homenagem, e se gabou ainda de ser chamado de ‘rei do beijo’.

“É bom ter um público feminino observando. A torcida canta uma música que é ‘O Fred vai te pegar’. E elas cantam ‘Oh Fred, vem me pegar’, ‘Oh Fred, vem me beijar’. Sou rei do beijo, cuidado hein”.

O jogador ganhou a fama após a divulgação de um vídeo em que para o carro no meio da movimentada avenida Avenida Tereza Cristina, Região Oeste de Belo Horizonte, e dá um selinho em uma mulher que estava de moto.

Uma foto do atacante com Tatá Werneck, divulgada durante a semana na gravação da matéria, também chamou a atenção e estampou os principais portais de internet do país. O ângulo da foto sugere um selinho da atriz com o jogador, mas foi apenas uma simulação.

Créditos das fotos: Reprodução/TV Globo e Moysés Ferman/otricolor.com