Blog UOL Esporte vê TV

Homenagem a Luciano do Valle faz Jornal Nacional fala de concorrente
Comentários 1

UOL Esporte

A importância de Luciano do Valle para a história da TV brasileira é tão grande que ele fez a Rede Globo ignorar seu modus operandi e falar de um concorrente. E em seu principal produto jornalístico. Neste sábado, a emissora carioca reservou quase cinco minutos do Jornal Nacional para falar do narrador da Rede Bandeirantes.

A morte de Luciano foi anunciada já na abertura do jornal, com uma narração de um lance da derrota do Brasil para a Itália, na Copa de 1982. Depois, após 15 segundos de introdução do apresentador Heraldo Pereira, foi veiculado uma matéria de cerca de 4min15 homenageando o narrador.

A reportagem sobre o narrador foi ampla, lembrando de toda a sua carreira, desde o início em Campinas até seus últimos trabalhos na Band. O mais surpreendente, porém, foi que o foco não foi fixado nos anos em que Luciano trabalhou na emissora carioca. Ele narrou Fórmula 1 e duas Copas na Globo, incluindo o jogo contra a Itália, uma das maiores audiências da história da TV brasileira em todos os tempos, quando 90% dos brasileiros assistiram ao jogo com sua narração.

Foram citados também momentos marcantes em outras emissoras, como o duelo entre Brasil x URSS no Maracanã, transmitido pela Record, as transmissões da Fórmula Indy, na Band, além do apoio aos esporte olímpicos, como vôlei e basquete. A maior prova disso é que dos três atletas ouvidos na matéria, o piloto de F-1 e F-Indy Emerson Fitipaldi, o jogador de vôlei Bernard Rajzman e a jogadora de basquete Hortência, tiveram momentos marcantes com a voz de Luciano em emissoras concorrentes da Globo.

Além disso, o diretor de jornalismo da Band, Fernando Mitre, foi um dos principais entrevistados. É claro que personagens da emissora carioca também apareceram. Os três principais narradores da casa, Galvão Bueno, Cléber Machado e Luiz Roberto, deram depoimentos. Mas, no fim das contas, foi uma justa homenagem a um personagem com a qual a Globo tinha uma pequena dívida.

“A Globo se redimiu de um momento triste, ocorrido em 2012. Na ocasião, ao lembrar dos 30 anos da derrota do Brasil para a Itália na Copa de 1982, o Esporte Espetacular exibiu uma reportagem caprichada, incluindo até entrevista com Paolo Rossi. Mas, ao exibir lances do jogo, a emissora optou por colocar a narração dos radialistas Waldir Amarral e Jorge Cory, da Rádio Globo, e não o áudio original, com Luciano do Valle, então narrador da Rede Globo. Neste sábado, já na abertura do Jornal Nacional, a emissora exibiu um lance de Brasil e Itália no Sarriá narrado por Luciano. A reportagem do telejornal mostrou mais uma vez os lances que o Esporte Espetacular, dois anos atrás, suprimiu”, escreveu o crítico de TV do UOL, Maurício Stycer, em seu blog.#uolbr_geraModulos(‘embed-lista’,'/2014/luciano-do-valle-1397939753712.vm’)

 

#uolbr_geraModulos(‘embed-lista’,'/2014/blogueiros-comentam-morte-de-luciano-do-valle-1397954180251.vm’)


Luciano do Valle morreu de infarto; enterro será em Campinas
Comentários Comente

UOL Esporte


A morte do narrador esportivo Luciano do Valle aconteceu em decorrência de um infarto. O locutor teve um mal súbito neste sábado, em Uberlândia, onde trabalharia no domingo para transmitir o jogo entre Atlético-MG e Corinthians.

O velório será realizado no domingo, na Câmara Municipal de Campinas. O enterro também será na cidade do interior de São Paulo – nos dois casos, os horários ainda não foram confirmados. O corpo foi liberado de Uberlândia às 20h30 deste sábado.

Luciano do Valle, 66, perdeu a consciência às 14h30, quando o avião aterrissava em Uberlândia. Uma ambulância aguardava na pista, e o primeiro socorro foi feito pelo Corpo de Bombeiros.

O narrador foi conduzido para o hospital Santa Genoveva, em Uberlândia. O coração e o pulmão de Luciano do Valle pararam de funcionar às 15h, mas os médicos seguiram tentando reanimá-lo até 16h15, quando o óbito foi confirmado.

“Estava tudo preparado para ele chefiar a Copa e a gente recebeu essa informação. Ele estava dentro de um avião, passou mal e não resistiu. Foi para o hospital, mas não resistiu”, disse Joel Datena, filho do apresentador José Luis Datena, durante o Brasil Urgente deste sábado.

O narrador surgiu na televisão na Rede Globo, em 1971, e foi o principal comandante de transmissões do canal até 1982, quando se transferiu para a Record. No ano seguinte, iniciou sua primeira passagem pela Band, onde ficou até 2003. Entre 2003 e 2006, nova passagem pela Record, até sua volta definitiva para a Band.

Em 2012, Luciano teve um AVC e chegou a ficar afastado por cerca de um ano das transmissões.

No domingo, Téo José será o substituto de Luciano do Valle na transmissão de Atlético-MG x Corinthians.

#uolbr_geraModulos(‘embed-lista’,'/2014/blogueiros-comentam-morte-de-luciano-do-valle-1397954180251.vm’)

A carreira de Luciano do Valle

Em 1963, Luciano do Valle começou carreira como locutor da Rádio Brasil, de Campinas (SP). Quatro anos depois, foi para São Paulo e passou a trabalhar na Rádio Gazeta , que foi um trampolim para a TV, em 1971. Luciano passou 11 anos na Globo e narrou não apenas futebol como boa parte das conquistas de Emerson Fittipaldi na Fórmula 1 – mais tarde o acompanharia na Fórmula Indy, com a Band.

Ele esteve na cobertura dos Jogos Olímpicos de Munique, em 1972, acompanhou do Rio a Copa da Alemanha, em 1974 e em seguida, com a saída de Geraldo José, tornou-se o principal locutor da Globo, numa época pré-Galvão Bueno.

Após sair da Globo em 1982, teve passagem pela Record e depois foi para a Bandeirantes, sendo também o responsável pela criação do “Show do Esporte”, programa que durava até 11h no autointitulado “canal do esporte”.

Luciano não teve sua importância apenas na narração. Ele também era um investidor. Ele foi um incentivador da Fórmula Indy, esteve nos bastidores do crescimento de Maguila como ícone do boxe e organizou o jogo de vôlei entre Brasil e União Soviética no Maracanã, em 1983.

Em 2013, completou 50 anos de carreira. Sua última narração ocorreu no último domingo: a final do Campeonato Paulista entre Santos e Ituano. Ele estaria na equipe da Band que cobriria a Copa do Mundo de 2014, no Brasil.

Luciano do Valle

Luciano do Valle

[tagalbum id="53552"]

Curiosidades e polêmicas

Luciano também teve suas gafes e seus momentos de descontrole no ar. Um caso famoso foi quando em um jogo de 2010 ele acabou trocando o nome da Band pelo da Globo. Era um LDU x Fluminense: “começa o segundo tempo desta primeira partida da final da Copa Sul-Americana, que você acompanha com exclusividade aqui na Globo… Aqui na Bandeirantes, né? A Globo não está fazendo para São Paulo, é bom que você saiba”, anunciou ele, para se corrigir como pôde.

Um caso mais polêmico aconteceu em 2008. Antes de uma partida entre Corinthians e Sport pela Copa do Brasil, ele criticou abertamente nomes como Milton Neves, Neto, Oscar Roberto de Godói e Flavio Prado e os profissionais sem diploma na TV. Chegou a dizer que transmitiria a partida porque era “obrigado”. Mas o caso não teve grandes consequências e ele voltou atrás.

#uolbr_geraModulos(‘embed-lista’,'/2014/luciano-do-valle-1397939753712.vm’)

Narradores e comentaristas lamentam a morte do companheiro de profissão:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


CBF emite nota sobre Luciano do Valle e fará homenagem a ele no Brasileirão
Comentários Comente

UOL Esporte


A CBF (Confederação Brasileira de Futebol) emitiu neste sábado uma nota para lamentar a morte do narrador esportivo Luciano do Valle, que trabalhava na “TV Bandeirantes” desde 2006. Além disso, a entidade determinou que todos os jogos da primeira rodada do Campeonato Brasileiro terão um minuto de silêncio para homenagear o locutor.

Luciano do Valle, 66, morreu neste sábado. Ele foi acometido por um mal súbito quando estava no avião, no caminho de São Paulo para Uberlândia. O narrador trabalharia na transmissão de Atlético-MG x Corinthians, válido pela primeira rodada do Brasileirão.

“Ele era, sobretudo, um amigo da CBF. Luciano foi um ícone da televisão, um verdadeiro patrimônio da nossa imprensa”, declarou José Maria Marin, presidente da entidade que comanda o futebol nacional, em nota oficial.

Luciano seria o principal narrador da “TV Bandeirantes” para a Copa do Mundo deste ano, que vai ser realizada no Brasil. Ele chegou a ser homenageado pela CBF em evento realizado no ano passado.

“Tivemos a felicidade de prestar uma homenagem ao Luciano do Vale em um evento que a CBF promoveu no ano passado. Envio neste momento difícil os pêsames à família desse grande jornalista”, completou Marin.

Confira a íntegra da nota emitida pela CBF:

“Morreu neste sábado, em Uberlândia (MG), o locutor Luciano do Vale, da TV Bandeirantes. Ele estava na cidade mineira para narrar o jogo Atlético Mineiro e Corinthians, pela primeira rodada do Campeonato Brasileiro da Série A.

O presidente da CBF José Maria Marin, tão logo soube da notícia, determinou a observância de um minuto de silêncio nas partidas de amanhã do Campeonato Brasileiro. Ele lamentou a morte de um amigo e do locutor que considera “um patrimônio da imprensa brasileira”.

- Ele era, sobretudo, um amigo da CBF. Luciano foi um ícone da televisão, um verdadeiro patrimônio da nossa imprensa.

Luciano do Vale foi durante anos a voz da televisão nas Copas do Mundo. Locutor excepcional, trabalhou nas Tvs Bandeirantes, Globo e Record.

- Tivemos a felicidade de prestar uma homenagem ao Luciano do Vale em um evento que a CBF promoveu no ano passado. Envio neste momento difícil os pêsames à família desse grande jornalista.”

A carreira de Luciano do Valle

Em 1963, Luciano do Valle começou carreira como locutor da Rádio Brasil, de Campinas (SP). Quatro anos depois, foi para São Paulo e passou a trabalhar na Rádio Gazeta , que foi um trampolim para a TV, em 1971. Luciano passou 11 anos na Globo e narrou não apenas futebol como boa parte das conquistas de Emerson Fittipaldi na Fórmula 1 – mais tarde o acompanharia na Fórmula Indy, com a Band.

Ele esteve na cobertura dos Jogos Olímpicos de Munique, em 1972, acompanhou do Rio a Copa da Alemanha, em 1974 e em seguida, com a saída de Geraldo José, tornou-se o principal locutor da Globo, numa época pré-Galvão Bueno.

Após sair da Globo em 1982, teve passagem pela Record e depois foi para a Bandeirantes, sendo também o responsável pela criação do “Show do Esporte”, programa que durava até 11h no autointitulado “canal do esporte”.

Luciano não teve sua importância apenas na narração. Ele também era um investidor. Ele foi um incentivador da Fórmula Indy, esteve nos bastidores do crescimento de Maguila como ícone do boxe e organizou o jogo de vôlei entre Brasil e União Soviética no Maracanã, em 1983.

Em 2013, completou 50 anos de carreira. Sua última narração ocorreu no último domingo: a final do Campeonato Paulista entre Santos e Ituano. Ele estaria na equipe da Band que cobriria a Copa do Mundo de 2014, no Brasil.

#uolbr_geraModulos(‘embed-lista’,'/2014/blogueiros-comentam-morte-de-luciano-do-valle-1397954180251.vm’)

Luciano do Valle

Luciano do Valle

[tagalbum id="53552"]

Curiosidades e polêmicas

Luciano também teve suas gafes e seus momentos de descontrole no ar. Um caso famoso foi quando em um jogo de 2010 ele acabou trocando o nome da Band pelo da Globo. Era um LDU x Fluminense: “começa o segundo tempo desta primeira partida da final da Copa Sul-Americana, que você acompanha com exclusividade aqui na Globo… Aqui na Bandeirantes, né? A Globo não está fazendo para São Paulo, é bom que você saiba”, anunciou ele, para se corrigir como pôde.

Um caso mais polêmico aconteceu em 2008. Antes de uma partida entre Corinthians e Sport pela Copa do Brasil, ele criticou abertamente nomes como Milton Neves, Neto, Oscar Roberto de Godói e Flavio Prado e os profissionais sem diploma na TV. Chegou a dizer que transmitiria a partida porque era “obrigado”. Mas o caso não teve grandes consequências e ele voltou atrás.

#uolbr_geraModulos(‘embed-lista’,'/2014/luciano-do-valle-1397939753712.vm’)

Narradores e comentaristas lamentam a morte do companheiro de profissão:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Galvão entra ao vivo na Band e lamenta morte de “maior concorrente”
Comentários 17

UOL Esporte


“Foram 37 anos disputando cada ponto da audiência esportiva brasileira na televisão”. Foi assim que o narrador esportivo Galvão Bueno definiu a relação com Luciano do Valle, que morreu neste sábado. O titular da Globo entrou ao vivo no programa “Brasil Urgente”, da TV Bandeirantes, e lamentou a morte do amigo.

“A televisão brasileira e a comunicação brasileira ficam mais pobres. Luciano é um marco para a história do país. Eu me orgulho de poder dizer que fui amigo, que eu concorri com ele e que eu aprendi com ele”, disse Galvão.

Em conversa com o apresentador José Luiz Datena, Galvão mostrou estar emocionado com a morte de Luciano do Vale. O narrador titular da Bandeirantes foi acometido por um mal súbito neste sábado, em Uberlândia, quando se deslocava para transmitir o jogo Atlético-MG x Corinthians, válido pela primeira rodada do Campeonato Brasileiro de 2014.

“Nós trabalhamos juntos durante quase um ano na Globo, e ele me ensinou muito. Para poder enfrentá-lo eu tive de me esforçar muito. Tive de me tornar mais conhecedor”, declarou Galvão.

O atual número 1 da Globo começou como narrador na Bandeirantes. Na época, Luciano do Valle ocupava o principal posto entre os locutores da emissora carioca.

“Como vai ser fazer a Copa do Mundo sem tê-lo na outra linha? Vai ser difícil, cara. Como foi bom tê-lo como grande concorrente”, finalizou Galvão.

#uolbr_geraModulos(‘embed-lista’,'/2014/blogueiros-comentam-morte-de-luciano-do-valle-1397954180251.vm’)

A carreira de Luciano do Valle

Em 1963, Luciano do Valle começou carreira como locutor da Rádio Brasil, de Campinas (SP). Quatro anos depois, foi para São Paulo e passou a trabalhar na Rádio Gazeta , que foi um trampolim para a TV, em 1971. Luciano passou 11 anos na Globo e narrou não apenas futebol como boa parte das conquistas de Emerson Fittipaldi na Fórmula 1 – mais tarde o acompanharia na Fórmula Indy, com a Band.

Ele esteve na cobertura dos Jogos Olímpicos de Munique, em 1972, acompanhou do Rio a Copa da Alemanha, em 1974 e em seguida, com a saída de Geraldo José, tornou-se o principal locutor da Globo, numa época pré-Galvão Bueno.

Após sair da Globo em 1982, teve passagem pela Record e depois foi para a Bandeirantes, sendo também o responsável pela criação do “Show do Esporte”, programa que durava até 11h no autointitulado “canal do esporte”.

Luciano não teve sua importância apenas na narração. Ele também era um investidor. Ele foi um incentivador da Fórmula Indy, esteve nos bastidores do crescimento de Maguila como ícone do boxe e organizou o jogo de vôlei entre Brasil e União Soviética no Maracanã, em 1983.

Em 2013, completou 50 anos de carreira. Sua última narração ocorreu no último domingo: a final do Campeonato Paulista entre Santos e Ituano. Ele estaria na equipe da Band que cobriria a Copa do Mundo de 2014, no Brasil.

Luciano do Valle

Luciano do Valle

[tagalbum id="53552"]

Curiosidades e polêmicas

Luciano também teve suas gafes e seus momentos de descontrole no ar. Um caso famoso foi quando em um jogo de 2010 ele acabou trocando o nome da Band pelo da Globo. Era um LDU x Fluminense: “começa o segundo tempo desta primeira partida da final da Copa Sul-Americana, que você acompanha com exclusividade aqui na Globo… Aqui na Bandeirantes, né? A Globo não está fazendo para São Paulo, é bom que você saiba”, anunciou ele, para se corrigir como pôde.

Um caso mais polêmico aconteceu em 2008. Antes de uma partida entre Corinthians e Sport pela Copa do Brasil, ele criticou abertamente nomes como Milton Neves, Neto, Oscar Roberto de Godói e Flavio Prado e os profissionais sem diploma na TV. Chegou a dizer que transmitiria a partida porque era “obrigado”. Mas o caso não teve grandes consequências e ele voltou atrás.

#uolbr_geraModulos(‘embed-lista’,'/2014/luciano-do-valle-1397939753712.vm’)

Narradores e comentaristas lamentam a morte do companheiro de profissão:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Coração de Luciano do Valle parou às 15h, diz médico que fez atendimento
Comentários 19

UOL Esporte

O narrador Luciano do Valle perdeu a consciência no momento em que o avião aterrissava em Uberlândia (MG), às 14h30, disse o cardiologista  Roberto Botelho, que fez o atendimento na aeronave e no hospital. O coração e o pulmão pararam de funcionar por volta das 15h. A equipe do hospital Santa Genoveva tentou a reanimação durante uma hora por meio de massagens e outros procedimentos, mas não teve sucesso. A morte foi declarada às 16h15min.

O corpo será liberado por volta das 23h deste sábado do Serviço de Verificação de Óbito, que investiga a causa da morte. Familiares do narrador entraram em contato e a mulher dele vai viajar para Uberlândia para resolver as questões referentes ao transporte do corpo informou o Instituto Médico Legal de Uberlândia.

Luciano entrou no avião reclamando de mal-estar. O cardiologista contou que estava em sua poltrona quando foi procurado por dois pacientes dele que estavam no avião. A dupla comunicou que o narrador estava passando mal e então Botelho procurou o repórter Fernando Fernandes e ofereceu ajuda. Isto foi às 13h30, cerca de meia hora depois da decolagem. Como não havia equipamentos na aeronave, pouco pode ser feito. Mas o cardiologista pediu que uma ambulância esperasse na pista.

Ele contou que durante o atendimento no avião Luciano reclamava de dores nas costas. Após o pouso, o narrador foi levado para o Hospital Santa Genoveva, onde deu entrada inconsciente e com um quadro de parada cardio respiratória que não pode ser revertida.

Acometido por um mal súbito quando viajava para Uberlândia, onde narraria o jogo entre Atlético-MG e Corinthians, o narrador esportivo Luciano do Valle morreu neste sábado. Luciano do Valle passou mal no avião e foi levado ao hospital Santa Genoveva, em Uberlândia.

#uolbr_geraModulos(‘embed-lista’,'/2014/blogueiros-comentam-morte-de-luciano-do-valle-1397954180251.vm’)

A carreira de Luciano do Valle

Em 1963, com apenas 16 anos, ele começou sua carreira como locutor da Rádio Brasil, de Campinas (SP). Quatro anos depois, foi para São Paulo e passou a trabalhar na Rádio Gazeta e ela foi o trampolim para a TV, em 1971. Luciano passou 11 anos na Globo e narrou não só futebol como boa parte das conquistas de Emerson Fittipaldi na Fórmula 1 – mais tarde o acompanharia na Fórmula Indy, com a Band.

Ele esteve na cobertura dos Jogos Olímpicos de Munique, em 1972, acompanhou do Rio a Copa da Alemanha, em 1974 e em seguida, com a saída de Geraldo José, tornou-se o principal locutor da Globo, numa época pré-Galvão Bueno.

Após sair da Globo em 1982, teve passagem pela Record e depois foi para a Bandeirantes, sendo também o responsável pela criação do “Show do Esporte”, programa que durava até 11h no autointitulado “canal do esporte”.

Luciano não teve sua importância apenas na narração. Ele também era um investidor. Ele foi um incentivador da Fórmula Indy, esteve nos bastidores do crescimento de Maguila como ícone do boxe e organizou o jogo de vôlei entre Brasil e União Soviética no Maracanã, em 1983.

Em 2013, completou 50 anos de carreira. Sua última narração ocorreu no último domingo: a final do Campeonato Paulista entre Santos e Ituano. Ele estaria na equipe da Band que cobriria a Copa do Mundo de 2014, no Brasil.

Luciano do Valle

Luciano do Valle

[tagalbum id="53552"]

Curiosidades e polêmicas

Luciano também teve suas gafes e seus momentos de descontrole no ar. Um caso famoso foi quando em um jogo de 2010 ele acabou trocando o nome da Band pelo da Globo. Era um LDU x Fluminense: “começa o segundo tempo desta primeira partida da final da Copa Sul-Americana, que você acompanha com exclusividade aqui na Globo… Aqui na Bandeirantes, né? A Globo não está fazendo para São Paulo, é bom que você saiba”, anunciou ele, para se corrigir como pôde.

Um caso mais polêmico aconteceu em 2008. Antes de uma partida entre Corinthians e Sport pela Copa do Brasil, ele criticou abertamente nomes como Milton Neves, Neto, Oscar Roberto de Godói e Flavio Prado e os profissionais sem diploma na TV. Chegou a dizer que transmitiria a partida porque era “obrigado”. Mas o caso não teve grandes consequências e ele voltou atrás.

#uolbr_geraModulos(‘embed-lista’,'/2014/luciano-do-valle-1397939753712.vm’)

Narradores e comentaristas lamentam a morte do companheiro de profissão:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Felipe Pereira
Do UOL, em São Paulo


Renata Fan chora ao falar de Luciano do Valle. “Símbolo absoluto”
Comentários 40

UOL Esporte

Luciano do Valle

Luciano do Valle

[tagalbum id="53552"]

A apresentadora Renata Fan chorou ao comentar a trajetória do narrador Luciano do Valle, que morreu na tarde deste sábado. “Ele era um símbolo absoluto. O Luciano foi muito mais que um narrador, foi um profissional que não existe mais. Ia para a 11ª Copa e tinha aquela gana. Estava se preparando, estudando. E coisa que muitos não sabem, mas ele narrava em pé.”

Renata lembrou que viu o narrador trabalhando na Copa das Conferações e percebeu como ele acredita no Brasil e que havia algo de especial no ar na cabine de transmissão. “Era uma referência do jornalismo brasileiro”. Também elogiou o caráter de Luciano por incentivar colegas a trilhar um caminho sólido.

Como outros, ela ressaltou o caráter inovador dele em criar um programa de esporte nos domingos e abrir espaços na programação para diferentes modalidades. Na avaliação de Renata, o narrador sonhou com um Brasil Olímpico antes de todo mundo. “Era muito mais que um apaixonado pelo futebol. Era um apaixonado pelo esporte”.

#uolbr_geraModulos(‘embed-lista’,'/2014/blogueiros-comentam-morte-de-luciano-do-valle-1397954180251.vm’)


Chorando, Neto lembra ajuda a Luciano do Valle na TV por causa de doença
Comentários 34

UOL Esporte

Luciano do Valle

Luciano do Valle

[tagalbum id="53552"]

Neto, ex-jogador e atual comentarista da TV Bandeirantes, não conseguiu se segurar ao comentar a morte de Luciano do Valle. Ao vivo em entrevista ao Brasil Urgente, ele caiu no choro e relatou ajuda ao narrador nos últimos tempos por causa do estado de saúde do jornalista.

“Fiquei sabendo agora há pouco, estava conversando com Fernando Fernandes (repórter), e fiquei sabendo que ele estava passando mal. O médico tentou de várias formas, nem consigo acreditar que ele faleceu. Não sei se ele faleceu dentro do avião ou indo para o hospital. Ele foi uma das pessoas mais importantes que eu tive na minha vida em relação a oportunidade de eu ser o comentarista que eu sou”, começou Neto.

“Ele não estava muito bem de saúde, não, nos últimos tempos. Ele me ensinou muitas coisas e se, hoje, eu sou o comentarista que sou é por causa dele. Trabalhei com ele por dez anos. As pessoas precisam passar a respeitar mais as pessoas como o Luciano, porque ninguém sabia que ele estava um pouco doente em determinados momentos. Eu precisava abrir o copo d’água para ele, colocava a cadeira para ele sentar… Ele é incrível. O grupo Bandeirantes perdeu um cara assim fenomenal. A Copa não vai ser a mesma sem ele”, completou o comentarista.

Depois disso, Datena, que comandava o programa, também relatou que Neto precisava, por vezes, até indicar quem era o autor dos gols para a narração. O apresentador ainda lembrou as ajudas que Luciano do Valle deu durante a sua carreira.

#uolbr_geraModulos(‘embed-lista’,'/2014/blogueiros-comentam-morte-de-luciano-do-valle-1397954180251.vm’)

Fernando Fernandes, repórter da TV Bandeirantes, estava com Luciano do Valle no avião e relatou como foi a morte do narrador.

“Convivi bastante com ele. A tristeza é muito grande. Tínhamos um voo às 13h30 de São Paulo para Uberlândia e o Luciano chegou com uma dor nas costas. Entramos no avião e, no meio do voo, fui falar com ele. Ele não estava muito legal. E o doutor Roberto, cirurgião que estava no voo, percebeu que ele estava mal e fez os primeiros cuidados. Ele estava transpirando. Descemos do avião e o Luciano já estava com dificuldades de deslocar para a sala. O doutor pediu uma ambulância para levar até o hospital, a ambulância veio até a pista. No trajeto, ele estava com problemas para respirar. A situação foi piorando. Chegou no hospital, foi para a UTI, tentaram reanimar durante uns 50 minutos, mas às 16h15 foi constatado o óbito”, explicou.

Em seguida, o doutor Roberto, que socorreu Luciano no avião afirmou que o narrador foi vítima de uma morte súbita e que não sofreu.

“Eu vinha para Uberlândia assistir o Corinthians no mesmo voo. O Luciano não sofreu e teve toda a assistência que precisava. Ele teve morte súbita, aquela que acontece uma hora até 24h depois dos sintomas. A caracterização clínica é essa. Vamos ter mais informação ao longo do tempo. Ainda teremos que ver por que causa”, disse.

Narradores e comentaristas lamentam a morte do companheiro de profissão:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Luciano do Valle marcou por narrações: confira as melhores
Comentários 67

UOL Esporte

O narrador Luciano do Valle morreu neste sábado. Foram 51 anos de carreira, nos quais muitas de suas narrações fizeram história. Confira, na playlist acima, as melhores e mais lembradas transmissões protagonizadas por Luciano.

#uolbr_geraModulos(‘embed-lista’,'/2014/luciano-do-valle-1397939753712.vm’)

Luciano do Valle

Luciano do Valle

[tagalbum id="53552"]

#uolbr_geraModulos(‘embed-lista’,'/2014/blogueiros-comentam-morte-de-luciano-do-valle-1397954180251.vm’)


Morre, aos 66 anos, o narrador Luciano do Valle
Comentários 130

UOL Esporte

Morreu neste sábado o narrador esportivo Luciano do Valle, 66, que trabalhava na “TV Bandeirantes” desde 2006. Ele passou mal no avião em que viajava de São Paulo a Uberlândia para trabalhar no jogo Atlético-MG x Corinthians, válido pela primeira rodada do Campeonato Brasileiro de 2014.

Luciano do Valle perdeu a consciência às 14h30, quando o avião aterrissava em Uberlândia. Uma ambulância aguardava na pista, e o primeiro socorro foi feito pelo Corpo de Bombeiros.

O narrador foi conduzido para o hospital Santa Genoveva, em Uberlândia. O coração e o pulmão de Luciano do Valle pararam de funcionar às 15h, mas os médicos seguiram tentando reanimá-lo até 16h15, quando o óbito foi confirmado.

“Estava tudo preparado para ele chefiar a Copa e a gente recebeu essa informação. Ele estava dentro de um avião, passou mal e não resistiu.  Foi para o hospital, mas não resistiu”, disse  Joel Datena, filho do apresentador José Luis Datena, durante o Brasil Urgente deste sábado.

O narrador surgiu na televisão na Rede Globo, em 1971, e foi o principal comandante de transmissões do canal até 1982, quando se transferiu para a Record. No ano seguinte, iniciou sua primeira passagem pela Band, onde ficou até 2003. Entre 2003 e 2006, nova passagem pela Record, até sua volta definitiva para a Band.

Em 2012, Luciano teve um AVC e chegou a ficar afastado por cerca de um ano das transmissões.

No domingo, Téo José será o substituto de Luciano do Valle na transmissão de Atlético-MG x Corinthians.

#uolbr_geraModulos(‘embed-lista’,'/2014/blogueiros-comentam-morte-de-luciano-do-valle-1397954180251.vm’)

A carreira de Luciano do Valle

Em 1963, Luciano do Valle começou carreira como locutor da Rádio Brasil, de Campinas (SP). Quatro anos depois, foi para São Paulo e passou a trabalhar na Rádio Gazeta , que foi um trampolim para a TV, em 1971. Luciano passou 11 anos na Globo e narrou não apenas futebol como boa parte das conquistas de Emerson Fittipaldi na Fórmula 1 – mais tarde o acompanharia na Fórmula Indy, com a Band.

Ele esteve na cobertura dos Jogos Olímpicos de Munique, em 1972, acompanhou do Rio a Copa da Alemanha, em 1974 e em seguida, com a saída de Geraldo José, tornou-se o principal locutor da Globo, numa época pré-Galvão Bueno.

Após sair da Globo em 1982, teve passagem pela Record e depois foi para a Bandeirantes, sendo também o responsável pela criação do “Show do Esporte”, programa que durava até 11h no autointitulado “canal do esporte”.

Luciano não teve sua importância apenas na narração. Ele também era um investidor. Ele foi um incentivador da Fórmula Indy, esteve nos bastidores do crescimento de Maguila como ícone do boxe e organizou o jogo de vôlei entre Brasil e União Soviética no Maracanã, em 1983.

Em 2013, completou 50 anos de carreira. Sua última narração ocorreu no último domingo: a final do Campeonato Paulista entre Santos e Ituano. Ele estaria na equipe da Band que cobriria a Copa do Mundo de 2014, no Brasil.

Luciano do Valle

Luciano do Valle

[tagalbum id="53552"]

Curiosidades e polêmicas

Luciano também teve suas gafes e seus momentos de descontrole no ar. Um caso famoso foi quando em um jogo de 2010 ele acabou trocando o nome da Band pelo da Globo. Era um LDU x Fluminense: “começa o segundo tempo desta primeira partida da final da Copa Sul-Americana, que você acompanha com exclusividade aqui na Globo… Aqui na Bandeirantes, né? A Globo não está fazendo para São Paulo, é bom que você saiba”, anunciou ele, para se corrigir como pôde.

Um caso mais polêmico aconteceu em 2008. Antes de uma partida entre Corinthians e Sport pela Copa do Brasil, ele criticou abertamente nomes como Milton Neves, Neto, Oscar Roberto de Godói e Flavio Prado e os profissionais sem diploma na TV. Chegou a dizer que transmitiria a partida porque era “obrigado”. Mas o caso não teve grandes consequências e ele voltou atrás.

#uolbr_geraModulos(‘embed-lista’,'/2014/luciano-do-valle-1397939753712.vm’)

Narradores e comentaristas lamentam a morte do companheiro de profissão:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Tiago Leifert pede ajuda para aumentar coleção de camisas de futebol
Comentários 1

UOL Esporte

Reprodução/Globo

Você é jogador de futebol e está procurando um cara legal para homenagear, entregando uma camisa? Pois não procure mais! Apresentador do Globo Esporte em São Paulo, Tiago Leifert ganhou uma camisa do atacante Gabigol, do Santos, e admitiu: aceita contribuições para sua coleção…

Com a camisa santista na mão, ele foi sincero em seu recado: “Ganhei a camisa do Gabriel, Gabigol, do amigo Tiago. E mandem camisas, também. Que eu gosto. Eu faço coleção!” E aí, você acha que o número de camisas que ele vai ganhar agora vai aumentar?

Para quem não lembra, no ano passado Palmeiras, São Paulo e Santos entraram em uma brincadeira com o apresentador e as camisas. Em janeiro, ele foi ganhou um presente de Paulo Nobre, presidente palmeirense, na terça-feira, uma camisa do São Paulo de Juvenal Juvêncio, mandatário são-paulino, na quinta e uma camisa do Santos, do então capitão da equipe, Edu Dracena, na sexta.

Quem também costuma receber muitas camisas em seu programa é Neto. A cada edição do Donos da Bola, ele costuma exibir os presentes que recebe, incluindo de times amadores – que ele faz questão de exaltar.