Blog UOL Esporte vê TV

Tiago Leifert, Jô Soares e Drica Lopes têm algo em comum. E não é o esporte
Comentários Comente

UOL Esporte

marcela leifert2
Marcela Leifert e Willem van Weerelt, diretor do Programa do Jô
(Crédito: Manuela Scarpa/FotoRioNews)

Tiago Leifert e Drica Lopes têm mais em comum além dos telejornais esportivos nos quais ficaram conhecidos. A coincidência que os une envolve também Jô Soares e atende por Willem van Weerelt, diretor do Programa do Jô. Hoje casado com a irmã de Tiago Leifert, ele já foi marido de Drica Lopes há alguns anos.

A apresentadora começou na televisão justamente por meio de Jô Soares, quando enviou uma carta e flores para ele e pediu uma chance em sua equipe. Aprovada no teste, passou a trabalhar na Globo, onde conheceu Willem.

Drica Lopes seguiu com Jô para o SBT e participou de atrações de humor como A Praça é Nossa. Surgiu, então, o convite para trabalhar na Gazeta, dividindo bancada com Chico Lang e se tornando conhecida entre os fãs de esporte. O relacionamento com Willem durou anos, mas eles se separaram.

É aí que entra a família Leifert. Willem passou a namorar Marcela Leifert, irmã de Tiago. Em 2012, eles dividiram espaço no altar e se casaram em cerimônia dupla: Marcela e Willem, e Tiago e Daiana Garbin, também da Globo. Coincidências não faltam na televisão brasileira.

dricaCrédito: Reprodução


Galvão critica postura de Dunga contra argentinos: “desculpa esfarrapada”
Comentários Comente

UOL Esporte

A imagem de Dunga mexendo no nariz no amistoso contra a Argentina no começo do mês segue gerando polêmica. Desta vez, o assunto foi pauta no “Bem, Amigos!'', do SporTV, após invasão do apresentador Jô Soares.

O humorista invadiu o programa para agradecer o apoio de Galvão quando esteve internado e passou a comentar alguns assuntos do futebol. No fim, ao falar sobre seleção brasileira, o apresentador relembrou o gesto de Dunga.

O narrador tentou evitar o assunto, mas foi em vão. “Não mexe com isso não”, disse Galvão.

“A única coisa que eu não entendi do Dunga foi aquela cena que ele fazia assim com o nariz. Ele falava do tamanho do nariz do Arnaldo? Não né? Era outra coisa?”, completou Jô Soares.

Em seguida, Galvão Bueno falou sobre o assunto e criticou a justificativa de Dunga sobre seu gesto. “Depois ele disse que estava falando da poluição, mas é uma desculpa bastante esfarrapada, vamos deixa para lá. É assunto para conversar com ele depois”, finalizou o narrador, que apresenta a atração.

O lance de Dunga aconteceu na vitória brasileira contra a Argentina, quando o técnico da seleção brasileira mexeu no nariz em direção ao massagista da Argentina. Depois do jogo, o treinador disse que a poluição seria o motivo de seu gesto. “Como tinha muita poluição, tinha o nariz sempre trancado”, disse o treinador.

Aliás, o gesto de Dunga gerou polêmica envolvendo Galvão. Tino Marcos questionou o técnico sobre seu ato e a tradução saiu diferente. Neste momento, o locutor interviu na coletiva e criticou a tradutora.


Fernanda Gentil brilha na televisão em SP. Mas o coração dela está no Rio
Comentários 137

UOL Esporte

01 correndo no ibirapuera

Glenda Kozlowski jantava com a família em um restaurante japonês, no Rio de Janeiro, quando foi interrompida por uma jovem jornalista. Animada, explicou que queria fazer a mesma coisa que a apresentadora, entregou o seu currículo e pediu o e-mail de Glenda. Anos depois, a moça conseguiu mesmo realizar seu sonho: Fernanda Gentil hoje é um fenômeno na TV Globo, muito graças à espontaneidade e à empolgação que demonstrou naquele primeiro encontro com Glenda.

“Estava na casa de uma amiga minha quando meus pais me ligaram dizendo que a Glenda estava no mesmo restaurante que eles”, relembra Fernanda ao UOL Esporte. Naquela época, toda a família estava mobilizada para ajudá-la: avisavam sempre que viam alguém com quem ela pudesse fazer contato. “Na mesma hora, imprimi meu currículo e fui para lá. Não sabia se ia adiantar alguma coisa, mas tinha certeza de que, se eu nem tentasse, não ia dar em nada”. E deu, sim. Em muito. Naquela época, Fernanda não sabia, mas em outubro de 2014 estaria apresentando a edição de São Paulo do Globo Esporte, substituindo o titular Tiago Leifert, que está no The Voice Brasil. Ela começou neste posto no dia 7 de setembro, e em pouco mais de um mês já conquistou diversos elogios de internautas que, nos comentários de suas chamadas em vídeo para o programa, pedem que ela continue no cargo.

Para apresentar o Globo Esporte até dezembro, Fernanda tem pagado um preço: a saudade. Carioca, teve de se mudar para São Paulo e ficar longe, pelo menos nos dias de semana, do marido, do afilhado (que ela trata como um filho) e da cachorra (que ela trata como uma filha). “A pior parte da distância é a saudade. Do meu marido, família, afilhado, cachorra, amigos… Sabia que seria assim, mas passa rápido. Me programei para ir ao Rio todo final de semana e é o que tem acontecido. Quando não vou, eles vêm me visitar”, explica.

Eles já conviveram com a distância na época da Copa do Mundo, quando Fernanda passou 49 dias cobrindo o Mundial e realizando seu maior sonho até hoje. “Só eu sei o quanto me preparei para fazer aquela Copa do Mundo. Quando penso nela, até hoje, abro um sorriso porque lembro de que participei de um momento muito importante e histórico do esporte brasileiro e mundial”.

A jornalista já havia chamado atenção na sua cobertura da Copa das Confederações, mas foi no Mundial que sua popularidade explodiu. As redes sociais, que ela tanto acessa, comprovam: antes da Copa, tinha 56 mil seguidores no Twitter; hoje, tem 707 mil. No Instagram, que ela atualiza quase diariamente, tem mais fãs até do que seus ídolos Tiago Leifert e Glenda Kozlowski. Fernanda chegou a entrar ao vivo 17 vezes em um só dia de cobertura, e conquistou o título informal de musa da Copa, que ela vê como um elogio, mas com os pés no chão: “Encaro como um carinho, mas não levo pra casa. O mais importante é fazer um trabalho bem feito, é para isto que me preparo sempre antes de entrar no ar.”

Nas entradas ao vivo na Copa, Fernanda comprovou que é boa de improviso e tem jogo de cintura. Em uma delas, estava mexendo no celular quando foi chamada pela colega Cris Dias. Sem hesitar, jogou o celular no chão, abriu um sorriso e admitiu o caso. “Estava aqui me inteirando no que estava acontecendo quando ouço sua voz, como sempre uma melodia nos meus ouvidos, até larguei o celular! Espero que não tenha quebrado. Não, não quebrou não”, brincou.

Um episódio em especial ajudou Fernanda a lidar melhor com imprevistos. Na Copa de 2010, ao vivo, ela estendeu a mão para cumprimentar um cego enquanto ele não via o gesto. A cena, que viralizou nas redes sociais, no fim a ajudou. “Com certeza esses episódios sempre nos amadurecem de alguma forma. Neste, em especial, aprendi a ser mais tranquila, a improvisar mais, a estar mais preparada para essas ‘surpresas’ que só o ao vivo nos dá”, garante.

E se Fernanda é espontânea na frente das câmeras, já era de se esperar que também fosse na vida pessoal. Ela divide diversos detalhes da vida no Instagram: aparece em fotos sem maquiagem; admite micos como ter tido um branco no seu primeiro dia de Globo Esporte, ou quebrado um copo em um casamento no qual foi madrinha; cola trechos de conversas no Whatsapp com a família, e até posta recados para a cachorra. Aliás, criou uma conta no Instagram para Nala, a golden retriever de 8 anos que ela leva até no cabeleireiro, e tem mais de 15 mil seguidores.

Nala aparece bastante nas fotos de Fernanda, mas a figura carimbada no seu Instagram é o marido, Matheus, com quem divide a maioria dos registros. A parceria é tanta que ele até fez participações em programas nos quais ela foi entrevistada, como o Esquenta e o Programa do Jô. Eles se casaram há dois anos, mas a história começou há 12, quando ele invadiu sua festa de 15 anos. “Entrou de penetra e deu em cima de mim”, relembra rindo. “Mas deu certo, né? Depois de muitas idas e vindas, ficamos juntos de vez em 2011, quando planejamos o casamento”.

Para relatar a convivência a dois, Fernanda até criou um blog, o gentilbraga, que ela considera quase uma terapia. “Fiquei impressionada com as diferenças dos costumes e manias que tínhamos. Não bebo refrigerante, ele bebe. Durmo com um travesseiro, ele com dois, e por aí vai… Aí eu pensei ‘Será que é só comigo?’ E comecei a escrever. O importante é que descobri que não é só comigo, então fiquei mais tranquila”, ri.

Outra figura presente é seu afilhado Lucas, de seis anos. Ele tinha quase dois anos quando a mãe dele – e tia de Fernanda – morreu. Hoje, Fernanda divide os cuidados do menino com o pai biológico dele e, inspirada pela história da tia, criou com o marido e dois amigos a Caslu, associação que arrecada fundos para instituições e ONGs que ajudam crianças carentes. Sempre que realiza uma ação da Caslu, Fernanda deixa claro nas fotos o seu lado religioso. Católica, faz sempre um sinal da cruz antes de entrar no ar. Como é possível ver em alguns vídeos de bastidores, ela também estala os dedos, um hábito que começou em uma cobertura de Olimpíadas de Inverno, para esquentar, e ela manteve até hoje.

Além da superstição, Fernanda conta com muito preparo: assiste depois às suas participações ao vivo, anota aspectos que pode melhorar, estuda e pesquisa os temas que aborda, tira dúvidas com colegas e até com o marido. Acima de tudo, Fernanda bate na tecla de que não quer parecer diferente dos telespectadores. Quando agradeceu seguidores que criaram fã clubes, afirmou: “É muito bom receber esse reconhecimento, mas essa ‘adoração’ só é legal e saudável se todos vocês entenderem que não existe diferença entre a gente, que eu também tenho dor de barriga, fico com soluço e fecho a cara quando tô com fome. O sentimento de vocês por outra pessoa nunca pode superar o que sentem por vocês mesmos”. Esse talvez seja o maior segredo de Fernanda: parecer real porque sempre é real, seja falando de trabalho ou admitindo que pagou mico em um casamento.

Camila Mamede
Do UOL, em São Paulo


Gêmeas do nado sincronizado serão apresentadoras do Vídeo Show
Comentários 1

UOL Esporte

As gêmeas do nado sincronizado, Bia e Branca Feres, irão apostar em uma nova carreira. E não tem muito a ver com o mundo do esporte, mas das celebridades.

A partir desta semana, elas passam a integrar o time de apresentadores do Video Show, programa da TV Globo que faz cobertura dos artistas, novelas e programação do canal.

Segundo o site da emissora, as duas já estiveram no Projac, onde as principais atrações da Globo são produzidas, no Rio de Janeiro, para iniciar o trabalho com o restante da equipe.


Vampeta só bebeu água na estreia na TV. Mas vai ter chope
Comentários 3

UOL Esporte

vamp Vampeta estreou seu programa esportivo “Mais Resenha” e se mostrou mais sério no ar do que muita gente esperava. Não fez muitas piadas e cumpriu à risca a promessa de beber só água no primeiro programa. Mas a apresentadora Juliana Franceschi diz que o ‘velho Vamp’ continua o mesmo e já promete um chopinho nas próximas edições.

“Ele bebeu só agua. Mas ouvi dizer nos bastidores que nos próximos programas vão servir chope. Eu não sei se beberia, acho que tudo bem. É um bate papo solto, não sou nada contra”, brinca ela.

Juliana atua como âncora do programa ao lado de Vampeta que comenta os principais assuntos do futebol brasileiro. Apesar de ser a estreia, ele se mostrou muito seguro no ar e não pediu conselhos à colega de trabalho.

“Ele não pediu conselho de nada, ele já tem grande experiência em televisão. E ele continua com o estilo brincalhão dele. Ele fala que na Band tem a dupla Dedê e Rerê (Denílson e Renata Fan) e aqui a nossa dupla é Juju e Vamvam”.

No primeiro programa, na última segunda-feira, Vampeta recebeu três convidados: o ex-árbitro Oscar Roberto Godói e os ex-jogadores Edmílson e Luizão. Bem à vontade com os amigos, Vampeta mostrou opiniões contundentes. Fez críticas ao trabalho de Mano Menezes no Corinthians e foi até mais incisivo ao dizer que Dunga não deveria ser o técnico da seleção.

0002050034588_imgJuliana acredita que o ex-atleta soube mostrar que não é só fanfarrão e que também sabe opinar com propriedade. “Ele tem essa imagem ligada a mulherada, cachaça e bebedeira, mas também sabe falar sério. Acho que a filosofia dele é ser piadista, mas também de ter seriedade para analisar a situação. Ele entende de futebol e tem personalidade. Ele quer mostrar que também tem opinião própria. O que acontece é que a galera faz muito tipo na TV, ele não faz tipo. É nisso que ele acredita, na autenticidade”.

E o velho Vamp também não se importa em ser comandado por uma mulher. Juliana já teve passagens pela RedeTV, é repórter do SBT e participa de quadros do programa A Praça é Nossa. No “Mais Resenha'' é ela quem dita o ritmo do programa, coloca os assuntos em pauta e chama as matérias. Para ela, o entrosamento com Vampeta foi bem natural desde o início.

“A proposta já era de eu ser a âncora. Eu faço o bate bola e ele fica sentado. Eu falo que esse negócio está errado, ficar eu em pé e os três homens sentados. Mas as mulheres estão cada vez mais no comando, intimidam os homens e têm cada vez mais conquistado o seu espaço. A tendência é essa, ainda tem um pouco de preconceito, mas aos poucos vamos achar o equilíbrio”.

O programa “Mais Resenha'' vai ao ar todas às segundas na TV Esporte Mais para nove cidades da grande São Paulo (Osasco, Carapicuíba, Cotia, Taboão da Serra, Jandira, Itapevi, Itapecerica da Serra, Vargem Grande Paulista e Embu das Artes) e pela internet.

Vampeta

Vampeta

Por Luiza Oliveira Do UOL Esporte


Acorda, Derico! Músico do Jô toca trilha da ESPN em programa do Sportv
Comentários 7

UOL Esporte

Crédito: Reprodução/Sportv

Crédito: Reprodução/Sportv

O músico Derico foi responsável por um deslize na tarde desta quarta-feira, durante sua participação na programação do canal de TV por assinatura SporTV. O motivo: uma menção indireta à ESPN Brasil, concorrente direta do canal.

O saxofonista, conhecido integrante do sexteto musical que anima o “Programa do Jô” (Rede Globo), foi convidado para debater no programa “Arena SporTV”. Durante sua participação, atendeu ao pedido para tocar algumas músicas.

Uma das escolhidas por Derico foi o clássico Um a Zero, chorinho composto Pixinguinha e Benedito Lacerda. O “problema”: a música é conhecida pelos fãs do futebol por ser tocada na abertura do programa “Bate Bola”, da ESPN Brasil.

A derrapada, é claro, foi percebida por telespectadores.

No entanto, ao que tudo indica, a execução da música no SporTV não incomodou quem estava no estúdio do SporTV.


Estilo ‘louco’ de Benja já rendeu briga com Neto e garantiu talk show
Comentários 52

UOL Esporte

benja2

Benjamin Back se considera um louco no meio dos ‘caretas’ do jornalismo esportivo. De fato, o jeito sincero e despojado não o fez passar despercebido. Nos 15 anos de carreira, ele fez sucessos no rádio e ganhou dois programas no Fox Sports – o último um talk show que estreou no último sábado -, mas também arranjou briga com o comentarista Neto que ficou marcada até hoje.

Benjamin Back foi contratado pelo Fox Sports neste ano, mas desde o início no rádio viu o esporte como entretenimento. E não teve vergonha de ousar. Trocou o terno e o blazer pela bermuda e o tênis, já apresentou um programa vestido de Batman e até saiu gritando estúdio como uma estrela de uma banda de rock em um programa ao vivo.

“Quanto menos convencional, melhor. Não gosto do politicamente correto. Não sou muito louco porque isso pode dar a ideia de um cara inconsequente, mas sou muito louco no meio de pessoas conservadoras. Meu programa é insano, gosto de fazer um programa divertido, sair um pouco da curva. Gosto de poder brincar, de sair da mesmice, esporte não é política”.

É esse o estilo que ele implementou desde o início da carreira nos 13 anos que passou no Jornal O Lance, à frente do Estádio 97, na rádio Energia, e do Fox Sports Rádio. Agora, pretende usar também em seu novo programa “Aqui com o Benja”, um talk show que recebe convidados de várias áreas e vai ao ar nas noites de sábado. Ele revela até uma tática para conseguir tirar mais informações do convidado e fazer sucesso com as campanhas de publicidade.

“É um estilo meu, descontraído, não faço entrevista com pauta, vai rolando. Um papo informal deixa o convidado mais solto, ela fica mais à vontade de falar coisas que não falaria outros lugares. Até os merchans que eu faço são descontraídos. Eles não me dão um texto. E eu tenho uma grande preocupação com o público jovem. A molecada não quer saber de coisa careta, quadrada. Para falar com esse público mais jovem, preciso me reciclar a cada dia, senão fico pra trás”.

Benja é fã de rock e acredita que o seu estilo musical preferido tem muito a ver com o futebol. Para ele, o público que vai a um show de metal é muito parecido com os torcedores no estádio. “Eu sou um cara fã de Iron Maiden. No show, você vê as pessoas. Uma música é como se fosse um gol, eu admiro pessoas com atitude, nunca fui bunda mole, sou sangue na veia. Eu tenho alguns comportamentos rock’n roll , dou umas piradas. Só não quebro uma guitarra no estúdio porque não levo para dentro. Um dia me deu na cabeça que ia comemorar igual ao Maradona em 94. Saí correndo, atravessei o estúdio, o diretor ficou louco falando ‘ele não vai parar’”.

Mas a mania de falar o que pensa já lhe rendeu problemas. Benjamin Back chegou a brigar com o ex-jogador Neto quando era comentarista da Band, em 2010. Os dois discutiram no ar sobre uma convocação para a seleção brasileira e, pouco depois, ele deixou a Band.

“Isso (falar o que pensa) já me deu trabalho pra cacete, uma enormidade. Para criar inimigos não é necessário declarar guerra, basta dizer o que pensa. Martin Luther King dizia isso. Já fui xingado de tudo. Eu não levo desaforo para casa e terminou como terminou. Briga é briga, já se passaram quatro anos e todo mundo ainda fala. Não tenho orgulho, mas todo mundo tem um limite. Você fica ouvindo bobagem e a pessoa provocando. Chegou uma hora que estava no ar e dane-se”.

Mesmo com os problemas gerados, Benja diz que seu único arrependimento foi ter aceitado o convite da Band. “Não me arrependo de nada (da briga), só me arrependo de ter aceitado o convite. Eu quase falei não, se eu tivesse continuado convicto, teria evitado o desgaste. A minha primeira resposta foi ‘não’, o formato não era muito a minha praia. Mas fizeram várias promessas, falaram que algumas coisas iam mudar”.

Por Luiza Oliveira

Do UOL, em São Paulo


Raiva ou farsa? Apresentador joga note no chão e levanta dúvidas
Comentários 8

UOL Esporte

Uma atitude raivosa do jornalista Armando Gomes gerou discussão na na internet e gerou dúvidas quanto a sua autenticidade. Apresentador do programa Esporte por Esporte, exibido no litoral paulista, Armando Gomes atirou um notebook no chão após se irritar com uma pergunta de um telespectador. O vídeo tem 120 mil cliques – até a tarde desta terça-feira (14) – e ganhou repercussão no Youtube. Alguns internautas acusam o apresentador de produzir uma cena armada. Entre os argumentos dos espectadores debatidos nos comentários do vídeo, estão o notebook supostamente desligado (sem bateria) e um áudio vazado aos 14 segundos do vídeo em que se ouve “esse é o computador?''. Motivo este usado pelos “comentaristas do vídeo'' para dizer que tudo foi combinado. Ao UOL Esporte, Armando Gomes diz que a cena foi natural, sem combinação. O apresentador se diz arrependido. 141014armandogomes“Aconteceu mesmo, de verdade. Foi uma atitude intempestiva e estou arrependido. Só se fala nisso. Já pedi desculpas. A produção já providenciou outro [aparelho]”, disse Armando. A reação furiosa se deu após suposto e-mail de um internauta acusando o apresentador de proteger o ex-presidente do Santos, Marcelo Teixeira.

Explica-se: o programa esportivo é exibido na TV Santa Cecília, da família Teixeira, que faz oposição à atual presidência do Santos e também a Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro. “Armando, caia na real e deixe de ser puxa saco do Marcelo Teixeira”, dizia o trecho lido pela assistente na bancada do programa. Após a pergunta, Armando se levantou da mesa e criticou o leitor sem nome identificado. “O que essa bicha quer?”. “Que bichana terrível”, acrescentou.

Para a reportagem, Armando afirma ter o costume de falar dessa maneira. “Não tenho nada contra gays. Tenho inúmeros amigos gays”. Regularmente o apresentador é alvo de polêmicas por ironias a questões religiosas e orientação sexual.

Torcedor declarado do Santos, Armando Gomes é conhecido no litoral paulista por desafiar quem reprova suas opiniões. No ar, ele costuma rasgar folhas com emails de telespectadores. Quando desconfia de uma pergunta, o apresentador não raro liga para tirar satisfação com o telespectador. “Outro dia mandaram uma pergunta, provocativa é lógico, dizendo se o sítio que eu tinha havia sido dado pelo Milton Teixeira [pai do Marcelo Teixeira]. Eu comprei com o meu suor. Mas eu não deixo barato. Eu respondi que o terreno era um pouco menor do que o do sítio que o Teixeira deu para a mãe dele [do telespectador]”.

Por Bruno Thadeu

Do UOL, em São Paulo

Frases de Armando Gomes

Eu não acredito em nada do que se escreve em internet. Coloca-se muita mentira. Na internet diz até que o Clodovil é pai de gêmeos
Comparar Pelé com Maradona é o mesmo que comparar Frank Sinatra com Frank Aguiar
Eu acho uma babaquice esse negócio de estatística no futebol. Veja só como é: o Jabaquara não perde para o Real Madrid há mais de 80 anos
O cara é tão azarado que se tiver tempestade de Carla Perez, cai o Xandy na cabeça dele
Engraçado que sempre tem pastor no Corinthians, São Paulo, Santos. Mas não vejo ninguém com boa intenção indo ao Jabaquara, Portuguesa Santista e AD Guarujá
Meu programa está no ar há 22 anos. Só o Raul Gil, Silvio Santos e Fausto Silva têm mais tempo do que eu


Sobram críticas para Galvão, Dunga e Mano em estreia de programa de Vampeta
Comentários 2

UOL Esporte

345352 bytes; 1617 x 1600; ORG XMIT: 232401_1.tif Futebol - Copa do Mundo, 2002: Edmílson tenta desarmar Vampeta durante treino

(Crédito: AP Photo/Roberto Candia)

Além de ser presidente do Grêmio Osasco Audax, o ex-jogador Vampeta agora também possui um programa de TV. Intitulado “Mais Resenha'' o programa estreou nesta segunda-feira e já foi recheado de opiniões contundentes do ex-jogador.

Os convidados foram os ex-jogadores pentacampeões do mundo Edmílson e Luizão e o ex-árbitro Oscar Roberto Godoy. Todos muito bem humorados e sem “papas na língua'', assim como Vampeta. Sobrou para Dunga, Mano Menezes e até Galvão Bueno.

Os treinadores foram vítimas do “Velho Vamp'', que não poupou críticas ao trabalho feito por eles no Corinthians e na seleção brasileira. Para o ex-jogador, o esquema defensivo montado por Mano Menezes atrapalha a criação do time corintiano.

“Eu acho que o Corinthians e preparado para defender. Quando ele pega times menores, que ele tem que atacar, não consegue. A culpa é do treinador. Você prepara atacante para jogar até o meio, não dá. O Luciano é a surpresa do Corinthians no ano. Aí o treinador vai na coletiva e fala que ele é bom pra entrar (no 2º tempo). Se fosse em outros tempos, o jogador iria falar 'você tá louco? quer me ferrar?'. Hoje não, hoje ele aceita'', analisou.

Já em relação a seleção brasileira, Vampeta foi até mais incisivo: Dunga não poderia ter assumido o comando do time.

“O Dunga não pode ficar três anos em casa, três anos sem trabalhar e assumir a seleção. Se eles chamam o Mano e eles me perguntam do Mano, eu posso falar minha opinião porque eu vejo o cara trabalhar'', argumentou.

E não foi só a escolha de Dunga para treinador que incomoda Vampeta. As decisões tomadas por ele no comando da seleção, também. Para o ex-atleta, Dunga não poderia ter convocado Kaká e Robinho para o Superclássico contra a Argentina e o jogo contra o Japão da próxima terça-feira, muito menos deixá-los no banco de reservas.

“Aí você pega jogadores como Kaká e Robinho, jogador que que deveriam estar na Copa. Você tira o cara do São Paulo que tá disputando título e você coloca o cara faltando 15 minutos e o Robinho faltando 5. Não tem que levar. Se não é pra jogar, não tem que levar'', disse.

Durante o papo sobre seleção brasileira, também sobrou para Galvão Bueno. O narrador que foi cornetado por Edmílson pelo trabalho feito nas transmissões da Copa do Mundo. A crítica começou quando o pentacampeão lembrou da atitude de Galvão de virar sua camisa ao contrário em 2002, atitude que, segundo o ex-jogador, foi apenas “para chamar a atenção''.

“Isso aí é tudo marca furada. É só para aparecer. Nessa Copa aí , por exemplo, tinha o negócio de dar estrela para o cara e o Galvão foi lá e deu estrela pro cara que não jogou nada. O cara tem um microfone na mão, ele tem que saber o que falar'', disse Edmílson.

O programa “Mais Resenha'' vai ao ar todas às segundas na TVEsporte Mais para nove cidades da grande São Paulo (Osasco, Carapicuíba, Cotia, Taboão da Serra, Jandira, Itapevi, Itapecerica da Serra, Vargem Grande Paulista e Embu das Artes) e pela internet.


Petros é provocado no ‘Bem, Amigos’ por empurrão, mas não comenta
Comentários 4

UOL Esporte

Crédito: TV Globo/Reprodução

Crédito: TV Globo/Reprodução

Convidado do programa ‘Bem, Amigos’, do Sportv, na noite desta segunda-feira, o meia Petros, do Corinthians, provocou momento incomum na atração ao permanecer calado diante de provocações. O jogador se recusou a comentar o caso em que foi acusado de agredir o árbitro Raphael Claus durante partida do Campeonato Brasileiro, alegou “segredo de Justiça” e se manteve calado.

“Gostaria de dizer o que eu acho, mas por orientação jurídica, não posso dizer”, afirmou Petros, ao ser indagado sobre o assunto. “Se eu disser alguma coisa, eles…”, disse, sem complementar a frase. O meia permaneceu calado enquanto os outros integrantes do programa comentava o assunto. Nem as perguntas dos internautas ele pôde responder. “Segredo de Justiça”, brincou.

Petros ainda foi provocado. Marco Antônio Rodrigues, por exemplo, afirmou que o tom que restou do episódio foi de “marmelada” – Petros foi inicialmente punido com 180 dias de punição, mas depois teve a pena diminuída para três jogos. Ao ver a cena na tela presente no cenário, o narrador Cleber Machado afirmou que é a mudança na trajetória da corrida do jogador que denuncia a agressão. Mesmo assim, ele ficou calado.