Blog UOL Esporte vê TV

Casão elogia Rodrigo Caio, mas não vê Maicon errado: “Vai demorar um pouco”

UOL Esporte

Casagrande opinou sobre o Campeonato Paulista (Reprodução/TV Globo)

Presente na edição paulista do programa Globo Esporte nesta terça-feira (18), o comentarista Walter Casagrande analisou vários assuntos. Do fair play de Rodrigo Caio, passando pelas chances de São Paulo e Palmeiras reverterem as suas desvantagens em mata-matas de Copa do Brasil e Campeonato Paulista, até a qualidade do futebol jogado pelo Corinthians, que ainda não agrada ao ex-jogador analista da emissora.

Sobre a atitude de Rodrigo Caio, de avisar ao árbitro que foi ele quem atingiu o goleiro Renan e não o atacante corintiano Jô e toda a discussão que o episódio gerou, Casão assim avaliou: ''O futebol está numa fase de transição. Vai demorar um pouco para as pessoas envolvidas no futebol se acostumarem com aquele negócio da malandragem cair fora, da esperteza, de levar vantagem nas coisas. Vai demorar um pouco. A atitude do Rodrigo Caio foi fantástica, ótima, é aquilo mesmo, foi o primeiro e devem ter outras pessoas que vão fazer a mesma coisa.''

Questionado sobre a declaração do zagueiro são-paulino Maicon de que, embora respeite a postura do companheiro, talvez não tivesse a mesma iniciativa – ''É melhor a mãe dele chorando do que a minha'', disse -, Casagrande viu com naturalidade e como pensamento geral da maioria no mundo do futebol: ''O pensamento do Maicon também não está errado, porque ainda o futebol não mudou o pensamento. É desse jeito que o Maicon falou que a maioria pensa'', comentou.

Porém, fez uma ressalva do que não gostou nos comentários em geral que ouviu do assunto: ''O que me incomodou foram comentários assim: 'E se fosse do outro lado, os jogadores do Corinthians fariam a mesma coisa?' Gente, a honestidade está dentro da gente. Eu não vou ser honesto porque o Ivan (Moré, apresentador) é honesto. Vou ser porque eu sou honesto, o Ivan vai ser o que ele é. O meu caráter não vai depender do caráter do outro.''

Respondendo a perguntas de telespectadores no quadro ''Fala, Casão'', a primeira delas se ele crê que a atitude de Rodrigo Caio seja o pontapé para uma mudança no futebol brasileiro, o comentarista assim respondeu: ''Espero que sim, o Brasil está numa fase de transição, a corrupção está sendo punida, e o futebol também vai mudar, está mudando. A honestidade vai começar a tomar frente à malandragem, à esperteza no futebol, e o Rodrigo Caio está de parabéns, espero que continue se comportando dessa maneira e outros jogadores repitam a atitude dele. Aos poucos o jogo limpo vai começar a empatar, vai crescer e até virar o resultado.''

''São poucos, ainda, mas com o tempo a honestidade vai criar corpo e esse número de jogadores vai ser maior. Os tempos mudaram. Em 1986, o Maradona tirou a bola do goleiro da Inglaterra com a mão e fez o gol. Todo mundo falou que foi malandragem do Maradona, esperto. Realmente, naquele momento cabia aquilo. Hoje, ele seria desonesto, o futebol está mudando. Vai demorar um tempo para as pessoas se adaptarem que a honestidade faz parte do futebol hoje'', acrescentou.

Questionado se acredita que o Palmeiras reverta no jogo de volta a desvantagem contra a Ponte Preta, nas semifinais do Paulista – o alviverde saiu derrota de Campinas por 3 a 0 -, Casão disse considerar mais provável que o São Paulo reverter os 2 a 0 que tomou do Corinthians no confronto de ida do mata-mata da competição.

''(Claro que (o Palmeiars) tem (chance de reverter), sim, o jogo não tá fechado para a Ponte, não. O time do Palmeiras é forte e se repetir o que a Ponnte fez com ele no Allianz Parque, pode reverter o resultado. Se marcar pressão, se fizer um gol no incio, a Ponte vai se assustar. É mais provável o Palmeiras virar esse resultado do que o São Paulo virar o resultado contra o Corinthians'', analisou.

''Eu acho difícil o São Paulo passar nas duas (além do Paulista, perdeu por iguais 2 a 0 no jogo de ida contra o Cruzeiro, pela Copa do Brasil). Demitir o Rogério é outra coisa. Tem crédito, está começando um trabalho. Seria um absurdo demitir o Rogério'', comentou, após ser perguntado se considera difícil o São Paulo mandar embora o seu treinador, que também tem o peso de ser ídolo do clube.

''Quando assumiu, todo mundo sabia que não tinha experiência, foi fazer curso lá fora, era um risco, um teste, uma preparação. Tem que dar tempo para o Rogério. Qualquer treinador do Brasil pode ser demitido em quatro, cinco meses, mesmo eu achando errado. O Rogério, não'', enfatizou.

Bastante crítico do futebol do Corinthians de Fábio Carille nesta temporada. Casagrande foi perguntado se crê que algo tenha mudado na equipe, que ve obtendo bons resultados nas competições que disputa. ''Ainda joga um futebol feio. Mostrou alguma coisa de bom contra a Universidad de Chile e contra o São Paulo. Acho que se defende bem, vai ser difícil o São Paulo virar 2 a 0, mas pra mim não é um futebol que me agrada'', opinou.